Acessar o conteúdo principal

Falsos alertas terroristas viram fenômeno nas redes sociais

Capa do jornal francês Aujourd'hui en France desta terça-feira (20).
Capa do jornal francês Aujourd'hui en France desta terça-feira (20).

O jornal Aujourd'hui en France desta terça-feira (20) tenta entender como um adolescente, detido na segunda-feira (19), conseguiu fazer o falso alerta que paralisou Paris no último final de semana. Como eles conseguem semear o pânico? pergunta o diário em sua manchete. O caso de Paris não é isolado, ele integra o fenômeno swatting que visa agitar as redes sociais.

Publicidade

O adolescente de 16 anos, suspeito de lançar o falso alerta terrorista, foi detido para interrogatório no departamento do Marne, no nordeste da França. Outro adolescente, suspeito de cumplicidade, continua sendo procurado. Os dois jovens já haviam reivindicado a ação na internet e em entrevista à imprensa francesa.

A falsa ameaça, neste contexto de ataques terroristas contra a França, provocou pânico e chegou a acionar o aplicativo de celular oficial francês, que tem o objetivo de alertar a população em caso de atentado. Ela levanta muitas questões, diz Aujourd'hui en France.

Sistema simples e vertiginoso

O “sistema é simples e vertiginoso”: um trote enviado pelos adolescentes como se estivessem em uma igreja no centro do Paris, que estaria sendo alvo de um sequestro, foi levado a sério pelas forças de segurança. Descoberta a farsa, uma investigação foi aberta e dois dias depois o primeiro suspeito foi detido.

Conhecido pelo codinome Tylers Swatting nas redes sociais, o jovem se vangloriou de seu gesto na internet. “Lancei o pior swat”, escreveu o adolescente. O termo em inglês, inspirado na polícia de elite americana, passou a ser na era da internet um fenômeno, sinônimo de falso alerta, de sequestro, bomba ou atentado, visando as forças de ordem.

O trote é passado via um programa tipo skype, dissimulando o endereço IP, e usando um falso número de telefone. O adolescente detido garantiu ter ficado impressionado pelo fato de a polícia não ter verificado a origem do telefonema antes de agir. O objetivo final dos adeptos do swatting é a paralisia dos serviços do Estado.

Piada de mal gosto

Todo mundo concorda que esse tipo de trote é uma piada de muito mal gosto, mas os meios para acabar com o fenômeno são infelizmente quase inexistentes, constata o diário. “O medo é que os verdadeiros terroristas se inspirem dessa tática”, ressaltou ao jornal o secretário-geral de um sindicato de policiais franceses, Patrice Ribeiro.

O governo anunciou que irá entrar com uma queixa e que os responsáveis serão punidos. De acordo com a legislação francesa, os dois adolescentes podem ser condenados a até dois anos de prisão e a € 30 mil (R$109 mil) de multa.

Em seu editorial, Aujourd'hui en France escreve que “falsos alertas como estes se multiplicam e não fazem mais ninguém rir. Eles são sofisticados e nocivos. O gesto destes adolescentes, neste contexto dos terríveis atentados que atingiram a França, é um insulto ao sofrimento das vítimas. A besteira desta busca efêmera de poder, que visa conseguir a intervenção das forças de elite à toa, para em seguida se vangloriar nas redes sociais, deixa todo mundo perplexo”, conclui o editorial.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.