Acessar o conteúdo principal
Selva de Calais/migrantes

Justiça francesa aprova fechamento de comércio informal em “selva” de Calais

A "selva" de Calais.
A "selva" de Calais. REUTERS/Pascal Rossignol

O Conselho de Estado, máxima autoridade administrativa francesa, aprovou nesta quarta-feira (12) os planos do governo para desmantelar o comércio informal no gigantesco campo ilegal de migrantes de Calais, que será destruído em poucas semanas.

Publicidade

O Conselho de Estado invalidou uma sentença judicial favorável aos donos dessas lojas e bares, com o argumento de que esses comércios representam um risco de incêndio e são anti-higiênicos. Além disso, os locais são utilizados para um comércio ilegal que provoca "tensão e violência".

O campo de Calais será desmantelado e seus habitantes divididos entre cerca de 160 centros de acolhimento em todo o país. Segundo um comunicado da prefeitura de Pas-de-Calais divulgado hoje, menos de 5,7 mil migrantes vivem no local. Esse número representa uma baixa sensível em relação ao mês de agosto, que apontava uma população de 6.901 migrantes.

Em agosto, um tribunal da cidade de Lille (norte) decidiu que esse comércio informal poderia permanecer aberto por causa do papel social dessas atividades para os imigrantes.

O desmantelamento da selva é contestado por associações que se preocupam principalmente com a situação de menores isolados, cerca de 1.300, de acordo com estimativas da ONG France Terre d’Asile.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.