Acessar o conteúdo principal
França

Homem ataca militar com faca no museu do Louvre

Um perímetro de segurança foi instaurado nos arredores do museu do Louvre, onde um homem foi baleado após tentar atacar um policial com um facão
Um perímetro de segurança foi instaurado nos arredores do museu do Louvre, onde um homem foi baleado após tentar atacar um policial com um facão REUTERS/Philippe Wojazer/File photo

Um homem tentou agredir com um facão um militar que patrulhava a área ao redor do museu do Louvre, no centro de Paris, nesta sexta-feira (3). O soldado teria reagido rapidamente e atirado contra o suposto agressor. As autoridades francesas já falam de ataque terrorista. 

Publicidade

O incidente foi registrado por volta das 10h de Paris, 7h em Brasília. De acordo com as primeiras informações da polícia, o homem, levando uma mochila, teve sua entrada recusada na região do museu conhecida como "Carrossel do Louvre". A zona, situada ao redor das famosas pirâmides do Louvre, abriga um centro comercial subterrâneo e, desde os atentados de 13 de novembro em Paris, todos os frequentadores têm suas bolsas revistadas ao entrar no local.

Ao ser barrado, o suposto agressor teria tirado um facão da mochila e avançado contra o soldado, que reagiu. O militar teve ferimentos leves. O agressor foi atingido com cinco tiros no barriga e foi hospitalizado em estado grave.

Segundo a polícia, o agressor gritou "Allah Akbar" (Allah é grande, em árabe) na hora do ataque. De acordo com o primeiro-ministro francês, Bernard Cazeneuve, trata-se "visivelmente" de uma "tentativa de ataque de caráter terrorista". Ainda não há informações sobre a identidade do suposto agressor.

Frequentadores foram confinados no centro comercial

A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, esteve no local pela manhã e confirmou que muitas pessoas que estavam confinadas no interior do Carrossel de Louvre e da Escola do Louvre, que se encontra dentro do centro comercial, já tinham sido retiradas em segurança do local.

“Toda a operação de evacuação será feita de maneira simples, direta e sem dificuldades”, declarou a prefeita parisiense, que também destacou a eficiência do dispositivo de segurança em torno de um dos locais mais frequentados da capital francesa. Segundo Hidalgo, exercícios frequentes dos agentes da prefeitura com as autoridades de segurança são feitos para reagir a ataques e a ameaças terroristas.

A prefeita confirmou que o homem foi neutralizado antes de entrar na área de controle do Carrossel do Louvre e agradeceu a intervenção do militar, que impediu o homem de “agredir outras pessoas”.

Metrô fechado e museu do Louvre esvaziado

Toda a área em torno do Louvre, inclusive a famosa avenida de Rivoli, foi esvaziada e um perímetro de segurança foi instalado na região. Os metrôs que dão acesso ao bairro também já foram fechados.

A França continua em alerta desde os atentados de 2015 em Paris, quando começou a operação antiterrorismo Sentinela. Desde então, os monumentos e pontos turísticos são patrulhados dia e noite por militares armados. O soldado atacado faz parte da operação Sentinela.

 

Nennhum grupo reivindicou o ataque até agora, mas policiais e militares são frequentemente alvos de jihadistas. Muitos dos ataques do gênero são realizados pelos chamados "lobos solitários", nome dado aos simpatizantes da causa terrorista, mas que não são necessariamente filiados ao grupo Estado Islâmico (EI). 

A área ao redor do museu, que atrai todos os dias milhares de visitantes, foi isolada pela polícia.
A área ao redor do museu, que atrai todos os dias milhares de visitantes, foi isolada pela polícia. ALAIN JOCARD / AFP

O grupo jihadista, que tem perdido terreno no Iraque e na Síria, onde proclamou um califado em 2014, ameaça regularmente a França, em retaliação à participação de Paris na coalizão militar internacional que combate os extremistas nos dois países.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.