Acessar o conteúdo principal
França/transporte

Barcos "voadores" podem ser testados em Paris nesse verão

A capital francesa vai ser a primeira cidade no mundo a testar táxis flutuantes no rio Sena.
A capital francesa vai ser a primeira cidade no mundo a testar táxis flutuantes no rio Sena. @marcelvdsande

Uma surpresa aguarda os parisienses neste verão: a prefeitura deve testar pela primeira táxis voadores que planam sobre o rio Sena, a uma velocidade de 12 a 18 km/h. Criado pelo navegador francês Alain Thébault, o Sea Bubble é um pequeno “barco ecológico” que parece ter saído de um filme de ficção científica, cujas baterias utilizam energia solar e elétrica.

Publicidade

A tecnologia é inspirada no Hidróptero, o barco mais rápido do mundo, também concebida por Thébault, que sempre se interessou à Aeronáutica. O princípio é relativamente simples: a partir de uma certa velocidade, o barco plana a uma altura de cerca de 5 metros, graças às suas quatro asas que estabilizam o veículo e continuam mergulhadas na água. Ele tem quatro metros de altura e dois de largura e a cabine pode transportar até quatro pessoas.

O custo do veículo é estimado em € 12 mil, o preço um pouco mais caro do que um carro popular. O Sea Bubble nasceu de uma sequência de experiências do navegador com o Hidróptero, que o levou, em 2005 a bater um recorde de velocidade na travessia do Canal da Mancha, até então de Louis Blériot. Quatro anos mais tarde, ele obteve o recorde mundial de velocidade a vela e começou a despertar o interesse de grandes empresas, como o Google, seduzida pela ideia de utilizar energias limpas a serviço do transporte marítimo e fluvial.

O barco voador, que se parece com um carro popular, não emite gases poluentes, não faz barulho e nem provoca ondas. O protótipo foi construído na Suíça, na mesma fábrica do avião Solar Impulse. Thébault conta com o apoio de seu sócio, o navegador sueco Anders Bringdal, campeão de windsurf no país.

Testes adiados

Os primeiros testes do Sea Bubble deveriam ser feitos em março em Paris, mas foram adiados por conta de ajustes técnicos. Em entrevista à revista francesa “Nouvel Obs”, o navegador francês declarou que testes já estão sendo realizados em um dos locais da empresa, na região de Marselha.

A aposta é ousada, já que pode ter um impacto na navegação fluvial do rio que atravessa a capital, segundo a prefeita de Paris, Anne Hidalgo. A discussão envolve entidades como a Porto de Paris, que estaria pedindo € 100 mil euros para instalar um dock no Sena segundo o navegador, e a Brigada Fluvial da Secretaria de Segurança Pública. A ideia é liberar o trânsito na beira do rio. Segundo ele, outras cidades, como Londres, já estariam interessadas no projeto.

 

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.