Acessar o conteúdo principal
Política

Ex-candidato à presidência francesa, Hamon deixa Partido Socialista e lança movimento

Benoît Hamon lança o movimento 1º de julho
Benoît Hamon lança o movimento 1º de julho AFP

O candidato socialista na última eleição presidencial francesa, Benoît Hamon, abandonou o partido e lançou neste sábado (1°), em Paris, o movimento 1º de julho, uma iniciativa que, segundo ele, visa “reconstruir a esquerda”.

Publicidade

“O nosso objetivo é simples. Todos aqueles que estão aqui acreditam que há uma maioria social neste país que vive sob o domínio de uma minoria. Essa minoria está representada por Emmanuel Macron, da velha burguesia e da nova classe média. Queremos que, em cinco anos, a maioria social possa voltar a ser a maioria política. Para começar, lutaremos para as eleições municipais de 2020”, disse Hamon à imprensa, na apresentação do movimento.

Depois de uma terrível derrota na eleição presidencial (6,4% no primeiro turno) e nas legislativas (eliminado no distrito de Yvelines), Hamon tentou reunir nos jardins de Reuilly o máximo de figuras políticas possível.

Estiveram ao seu lado os ex-ministros Philippe Martin, da Ecologia e do Desenvolvimento, e Dominique Bertinotti, da Família, e os ambientalistas Yannick Jadot e Cécile Duflot, além de Fabien Guillaud-Bataille, líder local do Partido Comunista Francês, e Christian Picquet, fundador da Esquerda Unida.

Hamon deve privilegiar a questão ambiental e as ferramentas de participação cívica e democrática dos franceses.

No entanto, adverte Guillaume Balas, deputado europeu do Partido Socialista que participou da criação do movimento, as respostas não devem ser necessariamente aquelas da campanha.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.