Acessar o conteúdo principal
França/Moda

Colette, templo da moda parisiense, fechará as portas em dezembro

A loja colette, na rua Saint Honoré, ficou famosa por sua mistura de gêneros.
A loja colette, na rua Saint Honoré, ficou famosa por sua mistura de gêneros. Creative Commons)

A história da moda parisiense vira uma página nesta quarta-feira (12). A famosa loja colette, templo das celebridades e amantes da cultura fashion, anunciou que vai fechar as portas em 20 de dezembro, depois de completar duas décadas de vida.

Publicidade

De acordo com um comunicado divulgado nas redes sociais, a fundadora da loja, Colette Roussaux, vai se aposentar. “Ela chega a uma idade em que precisa de tempo para si mesma. Ora, colette não pode existir sem Colette”, diz o texto. Situada na sofisticada rua Saint-Honoré, o local deverá ser ocupado por uma loja da marca Yves Saint Laurent.

Precursora dos concept store, colette é dirigida desde sua abertura, em 20 de março de 1997, pela sua fundadora e a filha Sarah Andelman, diretora artística da loja. Entre seus clientes famosos estão o costureiro Karl Lagerfeld, a papisa da moda Anna Wintour, editora-chefe da Vogue americana, ou ainda estrelas da música como Katy Perry ou Kanye West, que participam com frequência da Fashion Week.

Mistura de gêneros

A loja de três andares não vendia apenas roupas, mas também livros de arte, tênis, cosméticos e até objetos de tecnologia. Uma mistura de gêneros que faz sucesso, principalmente porque as coleções ainda mudam toda semana. A butique apostou na venda de produtos em séries limitadas e nas colaborações artísticas com marcas como Chanel ou Coca Cola.

Colette também é conhecida pelo seu bar “de águas”, no subsolo, com dezenas de marcas de água mineral. Vítima de seu próprio sucesso, a loja foi alvo de um assalto em 2014, com um prejuízo estimado em € 600 mil.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.