Acessar o conteúdo principal
França/EUA

Em Paris, Trump cogita possível mudança de posição sobre Acordo do Clima

Os presidentes da França, Emmanuel Macron (d), e dos Estados Unidos, Donald Trump, falaram dos elos históricos entre os dois países, apesar das divergências sobre o combate ao aquecimento climático.
Os presidentes da França, Emmanuel Macron (d), e dos Estados Unidos, Donald Trump, falaram dos elos históricos entre os dois países, apesar das divergências sobre o combate ao aquecimento climático. REUTERS/Gonzalo Fuentes

O presidente norte-americano Donald Trump, que está na França para uma visita de dois dias, declarou durante entrevista coletiva ao lado do líder francês Emmanuel Macron nesta quinta-feira (13), que sua postura sobre o Acordo do Clima de Paris poderia mudar. Apesar de apresentarem pontos de vista comuns sobre questões de segurança e luta contra o terrorismo, os dois chefes de Estado ainda divergem sobre o texto assinado em 2015, que almeja combater o aquecimento global. 

Publicidade

Logo após uma reunião bilateral no palácio do Eliseu, sede da presidência francesa, os dois chefes de Estado concederam uma entrevista coletiva na qual frisaram os elos históricos entre França e Estados Unidos. Emmanuel Macron ressaltou, em resposta às críticas sobre a visita do líder norte-americano durante a festa nacional da França, que “a presença de Trump é algo natural e uma boa coisa para as histórias de nossos dois países”. Já o presidente americano completou dizendo que a amizade entre França e Estados Unidos "é inabalável”.

Macron explicou que vários assuntos comuns foram tratados durante a reunião com o chefe da Casa Branca. O principal deles foi a luta contra o terrorismo, tema sobre o qual os dois têm pontos de vista convergentes, segundo o francês. Questionado sobre a posição de Paris e Washington diante da situação na Síria e no Iraque, Macron disse que ambos pretendem “continuar o trabalho em comum para implementar iniciativas diplomáticas com o objetivo de construir um plano para o pós-guerra, principalmente na Síria, onde é necessário pensar em soluções políticas inclusivas”. Trump completou declarando que “estamos determinados a lutar juntos contra o terrorismo".

Porém, o presidente francês lembrou que os dois países não estão alinhados sobre todos os temas, principalmente no que diz respeito à luta contra o aquecimento do planeta. “Nossas divergências são ligadas às promessas de Trump durante sua campanha eleitoral e eu respeito isso”, disse Macron. “Mas isso não deve atrapalhar todas as discussões que temos sobre outros assuntos, nos quais devemos continuar evoluindo juntos”, ponderou o líder francês.

Questionado por um jornalista sobre o tema, Trump surpreendeu ao dizer que "algo poderá acontecer a respeito do Acordo de Paris. Veremos". A declaração é feita seis semanas depois de o líder norte-americano ter anunciado a saída de seu país do pacto adoptado em 2015. “Da minha parte, eu continuo comprometido com o Acordo de Paris", martelou Macron.

Apesar das divergências, “esta noite na Torre Eiffel teremos um jantar entre amigos”, completou o presidente francês, em alusão ao jantar oferecido ao presidente americano e sua mulher Melania Trump no restaurante Jules Verne, no segundo andar do monumento mais famoso da cidade.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.