Acessar o conteúdo principal

Baleia de plástico no Sena assusta moradores de Paris

Baleia de plástico foi colocada às margens do rio Sena por um coletivo para denunciar a destruição do Meio Ambiente.
Baleia de plástico foi colocada às margens do rio Sena por um coletivo para denunciar a destruição do Meio Ambiente. BLOOM Association

A baleia de plástico, uma impressionante cópia ultrarrealista do cetáceo (um cachalote), provocou indignação e surpresa entre os moradores da capital francesa que caminhavam nesta sexta-feira (21) no cais de La Tournelle, nas proximidades da Catedral de Notre-Dame, onde a enorme réplica foi colocada.

Publicidade

No entanto, não se tratava de um animal de verdade, mas de uma instalação de um coletivo de artistas belgas, colocada no local entre a noite de quinta-feira (20) e a madrugada desta sexta (21). Com um total de 15 metros e disposta sobre o cais de La Tournelle, no quinto distrito de Paris, a obra de arte paralisou moradores que caminhavam no local pela manhã.

Segundo Bart Van Peel, um dos artistas do coletivo Captain Boomer, o trabalho se destina a chamar a atenção da população para a destruição do Meio Ambiente. "O que desejamos é criar novas fronteiras entre realidade e ficção, porque é fantástico revivermos esta experiência de criança. Porque, na verdade, esta é a questão que se coloca ao longo de toda nossa vida: o que é o real, o que é falso?”, explica o artista.

Ficção ou realidade?

O coletivo Captain Boomer, criado em 2007 na Antuérpia, na Bélgica, já expôs a falsa baleia em condições semelhantes em sua própria cidade e em Valência, Londres, e Rennes, no noroeste da França, há cerca de um ano. Em seu site, o grupo diz que a baleia é uma "metáfora gigantesca de destruição do nosso ecossistema." "Em contato com a obra, as pessoas sentem que a ligação com a natureza foi perturbada. O jogo entre ficção e realidade reforça essa sensação de desordem", explicam os artistas belgas.

Para completar a instalação, o grupo planeja agora um roteiro para acompanhar o trabalho, que prevê que uma falsa “autópsia” da baleia de plástico (um cachalote), operada por artistas disfarçados de cientistas. A ideia inicial é que eles respondam a perguntas do público sobre as baleias e por que estes animais acabam atualmente encalhando em praias e outros locais.

Segundo o coletivo, trata-se de um trabalho de dimensão educativa. "Durante essa instalação, quando a ‘baleia’ encalha, acontece uma forte interação com o público”, diz o grupo em seu site. “Isto atrai e mobiliza a comunidade local. As pessoas falam, especulam as causas do encalhe e admiram o animal", explica o grupo Captain Boomer. A instalação deve permanecer no local até o início da semana que vem, com a cumplicidade das autoridades parisienses.

A falsa baleia, de aspecto realista, com 15 metros, é uma instalação do grupo de artistas belgas Captain Boomer.
A falsa baleia, de aspecto realista, com 15 metros, é uma instalação do grupo de artistas belgas Captain Boomer. Reprodução Twitter

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.