Acessar o conteúdo principal
França/terrorismo

Mercado de blocos de proteção contra atentados explode na França

Polícia catalã patrulha mercado perto do local do atentado ocorrido em Barcelona,em agosto
Polícia catalã patrulha mercado perto do local do atentado ocorrido em Barcelona,em agosto REUTERS/Sergio Perez

Desde o atentado de Nice, onde um caminhão invadiu o Passeio dos Ingleses e deixou 86 mortos em julho de 2016, o mercado de blocos de cimento que impedem a passagem de veículos não para de crescer na França.

Publicidade

Os atentados do grupo Estado Islâmico utilizando veículos se tornaram uma verdadeira ameaça. Além do recente ataque em Barcelona e Nice, Berlim também foi alvo de um ataque do gênero no ano passado, durante um mercado de Natal. Em Paris, os blocos foram usados na Champs Elysées e no evento Paris Plage - uma praia artificial construída pela prefeitura no centro da capital francesa durante o verão.

Mais de 1800 objetos desse tipo, que pesam entre 900 quilos e 2,4 toneladas, são usados atualmente no país e podem ser customizados de acordo com o gosto do cliente. A empresa líder do setor é a francesa Blocstop, em Bordeaux, que vende ou aluga os objetos para aumentar a segurança nas cidades e nos eventos.

Os aluguéis correspondem a 75% da atividade. O custo é entre 30 e 60 euros, incluindo a entrega. A ausência dos blocos foi notada no atentado em Barcelona, que deixou 16 mortos em 17 de agosto. No ataque, uma van invadiu a Rambla, uma das regiões mais turísticas da cidade, atropelando dezenas de pessoas.

Aumento da demanda

A empresa já fez a segurança de diversos eventos, entre ele o Carnaval de Dunkerque e Grande Prêmio de Fórmula 1. Com o aumento da demanda, o empresário, Abdel Feghoul, estima que ele deverá multiplicar por cinco a atividade da empresa, que hoje emprega apena seis pessoas.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.