Acessar o conteúdo principal
França

Mais de uma a cada dez mulheres na França foi estuprada ao menos uma vez

O caso Weinstein resultou na criação do movimento #MeToo de denúncias de assédio e agressões sexuais no mundo inteiro. Na França, a mobilização ganhou a hashtag #BalanceTonPorc (Entregue Seu Porco).
O caso Weinstein resultou na criação do movimento #MeToo de denúncias de assédio e agressões sexuais no mundo inteiro. Na França, a mobilização ganhou a hashtag #BalanceTonPorc (Entregue Seu Porco). CHAMUSSY/SIPA

Um estudo divulgado pela Fundação Jean Jaurès nesta sexta-feira (23) aponta que 12% das mulheres da França já foi estuprada ao menos uma vez. Os dados, apurados pelo Instituto Francês de Opinião Pública (Ifop), fazem parte da maior pesquisa sobre a questão desde o escândalo de assédios sexuais envolvendo o produtor americano Harvey Weinstein, que teve consequências no mundo inteiro após a criação do movimento #MeToo. 

Publicidade

Segundo a Fundação Jean Jaurès, 12% das mulheres - mais de uma a cada dez - dizem ter sido vítimas de "penetração sexual com violência, sob ameaça ou de surpresa" uma ou mais vezes. Para a instituição, os números obtidos com o estudo são graves e representam um "problema maior de saúde pública". Entre as entrevistadas que disseram ter sido estupradas, 7% foram vítimas da agressão sexual uma vez e 5% "algumas ou várias vezes". 

Outra informação chocante em relação à pesquisa do Ifop é que a maioria das vítimas era menor de idade quando foi estuprada. Entre 78% e 88% conhecia seu agressor: geralmente era membros da família dessas mulheres ou seu próprio namorado ou marido.

O trauma dessas mulheres é "tenaz e profundo", avalia a Fundação Jean Jaurès em comunicado. A instituição salienta que uma a cada cinco vítimas de estupro na França tentou se suicidar ao menos uma vez. 

No total, 2.167 mulheres com idade superior a 18 anos que vivem na França foram ouvidas entre 6 e 18 de fevereiro pelo Ifop para a pesquisa. 

Suécia e Dinamarca registram maior quantidade de estupros na UE 

Apesar de os números serem considerados graves, a França não é o país que mais sofre com o problema na Europa. Segundo dados da Agência Europeia para Direitos Fundamentais, divulgados em 2014, a Suécia e a Dinamarca são as nações da União Europeia com maior registro de estupros. No entanto, dados mais recentes da ONU, que datam de 2015 e comparam a quantidade de agressões ao número de habitantes, apontam que Inglaterra e País de Gales são os países onde mais houve estupros. 

No Brasil, em 2016, foram registrados 135 estupros por dia, totalizando 49.497 agressões apenas naquele ano, segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. No entanto, as autoridades brasileiras avaliam que esses números escondem uma realidade muito mais grave e estimam que 500 mil brasileiras são estupradas por ano no país. 
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.