Acessar o conteúdo principal
França

Paris é a segunda cidade mais cara para se viver, diz estudo

A Cidade Luz passou da 7ª posição no ano passado para a segunda em 2018 entre as cidades mais caras do mundo.
A Cidade Luz passou da 7ª posição no ano passado para a segunda em 2018 entre as cidades mais caras do mundo. Archive

Paris é a segunda cidade mais cara no mundo para se viver. A capital francesa fica atrás somente de Cingapura que lidera o ranking, pelo quinto ano consecutivo, segundo a pesquisa “Custo de Vida Mundial”, da British Economist Intelligence Unit (EIU).

Publicidade

O instituto comparou o preço médio de 150 bens de consumo em 133 cidades do mundo. O relatório, publicado nesta semana, mostra também que São Paulo aparece em 77ª posição e o Rio de Janeiro em 82ª.

Paris, a única cidade da zona do euro entre as dez primeiras da lista, passou da 7ª posição no ano passado para a segunda em 2018. De acordo com a EIU, a capital francesa lidera as cidades mais caras em relação ao valor do combustível, custando em média € 1,43 (quase R$ 6,00) sendo que em Sidney, na Austrália, o valor é de € 0,79 euros (R$ 3,20). Manter um automóvel (valor do bem, seguro e manutenção) custa aos parisienses 79 % mais que para os nova-iorquinos.

Por motivos óbvios, a garrafa de vinho é muito mais barata em Paris do que em outras localidades, custando, em média, € 9,60 por garrafa, quando o mesmo produto é comprado por € 21,86 em Seul, na Coreia do Sul.

Com alto crescimento econômico e alto padrão de vida que atrai muitos expatriados, Cingapura é "a cidade mais cara do mundo para comprar e possuir um carro", diz o estudo. Viver em Cingapura custa 16% mais caro que em Nova York, compara o estudo.

Ainda na região Ásia-Pacífico, Hong Kong, Seul e Sydney aparecem entre as dez mais caras do planeta. No geral, as cidades asiáticas são as mais caras para os gastos com alimentos, enquanto a Europa está liderando com alto custo nos gastos domésticos, cuidados pessoais e recreação.

Londres cai no ranking

A contínua incerteza econômica em torno de Brexit pesou na força da libra rebaixando as cidades de Londres e Manchester dentro do ranking. Geralmente considerada uma das cidades mais caras do setor imobiliário no mundo, Londres nem se classifica entre os 10 destinos mais onerosos. Manchester performa no 56º posto, enquanto o custo de vida de Londres ocupa a 30ª posição.

O sonho americano

Com o enfraquecimento do dólar em relação às outras moedas, nenhuma cidade nos Estados Unidos se classifica entre as dez cidades mais caras, embora Nova York e Los Angeles permaneçam altamente classificadas no 13º e 14º lugar, respectivamente. A última pesquisa reflete uma queda na classificação para todas as 16 cidades americanas pesquisadas, exceto Boston.

Confira a lista das dez cidades mais caras para se viver no mundo:

  1. Singapura
  2. Paris
  3. Zurique
  4. Hong Kong
  5. Oslo
  6. Genebra
  7. Seoul
  8. Copenhague
  9. Tel Aviv

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.