Acessar o conteúdo principal
França

Vídeo mostra slogans que marcaram o movimento de Maio de 68

Exposição sobre Maio de 68 na Escola de Belas Artes em Paris.
Exposição sobre Maio de 68 na Escola de Belas Artes em Paris. RFI/HIRD

A efervescência intelectual de Maio de 68, a revolta contra a autoridade e os valores conservadores da sociedade francesa da época inspiraram mensagens revolucionárias. Os muros de Paris e de outras cidades francesas foram cobertos de slogans iconoclastas.

Publicidade

Em 1968, operários e estudantes lutaram por mudanças na sociedade francesa. O desejo coletivo de liberdade foi manifestado por meio de slogans irreverentes, numa mistura explosiva de palavras de ordem e poesia.

Jovens manifestam em 1° de maio 68, nas ruas de Paris.
Jovens manifestam em 1° de maio 68, nas ruas de Paris. JACQUES MARIE / AFP

Muitos desses slogans continuam profundamente enraizados na memória dos franceses."Prenez vos desirs pour des realités" – "Transformem seus desejos em realidade"; "Il est interdit d’interdire" "É proibido proibir"; "L’imagination au pouvoir" –"A imaginação no poder”; mensagens repletas de utopia e esperança.

Um dos slogans emblemáticos do "espírito de maio", Paris, 3 maio de 1968.
Um dos slogans emblemáticos do "espírito de maio", Paris, 3 maio de 1968. GERARD-AIME/Gamma-Rapho via Getty

Yvan Amar, que apresenta a emissão "A Dança das Palavras" na RFI, recorda que um dos aspectos interessantes do movimento foi a invenção verbal e mesmo tipográfica. "Um slogan que me marcou e que continua sendo importante até hoje é: 'corra camarada, o velho-mundo está atrás de você.'"

De acordo com Amar, "a frase foi escrita de um modo poético – 'velho-mundo' com um hífen entre as duas palavras –, como se fosse um conceito em si, do qual tínhamos que fugir e correr, nessa energia para escapar de algo que nos perseguia, dessa coisa velha, que pertencia ao passado. É uma fórmula magnífica; desde então, não paramos mais de correr", observa.

Entrevista de Laurence Théault

Os slogans traziam às vezes uma ordem, às vezes uma injunção, mas sempre eram criados de tal forma que cada um podia se apropriar da ideia. O tom não era impositivo. As mensagens eram um convite à esperança, procuravam passar a ideia de que tudo é possível. Elas eram uma sugestão tanto para a pessoa que escreveu quanto para a que ia ler.

Na maioria das vezes, os slogans eram escritos na primeira pessoa, como quando se diz: "desliguemos a TV e abramos os olhos". Não chega a ser uma ordem, do tipo "desliguem a TV e abram os olhos". Também não era uma imposição, mas passava a ideia de que "estamos todos juntos no mesmo barco", observa Amar. A mensagem lembra o hino nacional francês, "A Marselhesa", que começa com a frase "Allons enfants de la Patrie" – "Vamos, filhos da Pátria" e não "Vão filhos da Pátria", destaca Amar.

Entrevista de Laurence Théault

Para o historiador Philippe Artières, é preciso conhecer a história política da época para poder entender certos slogans.

Entrevista de Laurence Théault

“Eu participo, tu participas, ele participa, nós participamos, vós participais, eles lucram.” A participação dos empregados no lucro das empresas fazia parte do programa do general De Gaulle. Sem conhecer o contexto político da época, a compreensão do slogan fica prejudicada", relata o historiador. Ele fez a experiência de apresentar a frase a seus estudantes, e eles não entenderam a mensagem.

Veja o vídeo com as frases que marcaram Maio de 68:

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.