Acessar o conteúdo principal
França/Copa do Mundo

França aguarda chegada dos heróis da seleção com festa na Champs-Elysées

A seleção francesa volta nesta tarde para Paris e desfila em um ôninbus aberto na avenida Champs-Elysées, onde milhares de pessoas são esperadas para saudar os vencedores do mundial.
A seleção francesa volta nesta tarde para Paris e desfila em um ôninbus aberto na avenida Champs-Elysées, onde milhares de pessoas são esperadas para saudar os vencedores do mundial. REUTERS/Charles Platiau

A seleção francesa de futebol, campeã mundial pela segunda vez na história, chega nesta segunda-feira (16) a Paris, onde será recebida com festa para um desfile na avenida Champs-Elysées.

Publicidade

Os 23 craques do time e o técnico Didier Deschamps vêm direto de Moscou e devem desembarcar às 16h no horário local (11h em Brasília) no aeroporto Roissy-Charles-de-Gaulle. Os jogadores são esperados na Champs-Elysées por volta das 17h, em Etoile, onde farão um desfile em ônibus aberto na célebre avenida parisiense, como na vitória de 1998, cercados por milhares de torcedores.

A Secretaria de Segurança Pública de Paris mobilizou 2.000 policiais para a ocasião. As forças de segurança continuam em estado de alerta depois de um domingo (15) marcado por incidentes na capital francesa, principalmente nos bairros em torno da avenida, onde lojas e carros foram vandalizados.

Recepção no palácio do Eliseu

Depois do desfile na Champs-Elysées, os jogadores serão recebidos no palácio do Eliseu, onde cerca de mil jovens e 300 atletas foram convidados para participar de uma recepção em homenagem aos campeões.

Os clubes de futebol de Bondy, em Seine-Saint-Denis, onde o atacante Kylian Mbappé iniciou sua carreira, de Roissy en Brie, cidade de Paul Pogba, de Vincennes, onde jogou Blaise Matuidi, e Suresnes, de N’Golo Kanté, também participam da festa.

“Agora vocês são um exemplo para vários jovens, e para toda a vida”, declarou o presidente francês, Emmanuel Macron, que parabenizou os jogadores no vestiário do estádio de Luzhniki, depois da vitória contra a Croácia, por 4 x 2. Segundo Gaël Sliman, presidente do Instituto de Pesquisa Odoxa, a vitória dos franceses pode ajudar na popularidade do presidente Emmanuel Macron.

“A vitória faz bem para o país, faz bem para todo mundo ver todos esses sorrisos e todas essas gerações”, disse a prefeita de Paris, Anne Hidalgo, na rádio RTL. Principalmente, declarou, depois do país ter vivido um longo período de luto depois dos atentados que se sucederam depois de 2015. Mais de 19 milhões de franceses assistiram à final neste domingo, transmitida pelo principal canal de TV francês TF1.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.