Acessar o conteúdo principal
arte urbana

Paris celebra Dia dos Namorados com “coração” da artista portuguesa Joana Vasconcelos

"Coeur de Paris", obra de arte urbana de Joana Vasconcelos, em Paris.
"Coeur de Paris", obra de arte urbana de Joana Vasconcelos, em Paris. Cœur de Paris, 2018 | Joséphine Brueder/Ville de Paris

Paris comemora o São Valentim, o Dia dos Namorados do hemisfério Norte, nesta quinta-feira (14), com uma escultura da artista portuguesa Joana Vasconcelos. A obra “Coeur de Paris” traz um coração vermelho em grande escala, construído a partir de 4.000 azulejos. Colocado em cima de um pedestal de quatro metros de altura, o “coração” português bate junto à estação de bondes elétricos da Porta de Clignancourt, no extremo norte da capital francesa.

Publicidade

Por Carina Branco

A escultura integra um projeto de 24 obras de arte urbana, encomendadas a diferentes artistas e instaladas ao longo da extensão da linha bondes elétricos, o chamado “traimway” parisiense T3. Trata-se de uma iniciativa do município de Paris, em conjunto com a Fondation de France dentro de um programa que tem como objetivo envolver os cidadãos no desenvolvimento artístico e social da região.

Joana Vasconcelos foi a artista escolhida por um grupo de residentes do 18º distrito de Paris para criar um projeto na Porta de Clignancourt que representasse um símbolo universal. A artista portuguesa afirmou se tratar de “uma honra muito grande” que confirma “a importância que França tem tido na sua carreira”.

“Eu já fiz tantas coisas na França... Versalhes foi uma coisa que me marcou e que marcou minha carreira para sempre. Para além do país onde nasci, agora temos a Porta de Clignancourt com o ‘Coeur de Paris’. O coração será ligado à rede elétrica e começará a rodar e, através das luzes, a ter o batimento cardíaco”, anunciou Vasconcelos.

Outros projetos na França

Joana Vasconcelos também inaugura a obra “este ano”, na cidade francesa de Nice, outra peça de arte urbana e vai integrar, entre 19 e 23 de fevereiro, a exposição Artistes à la Une, Togeth’Her, na Casa da Moeda de Paris, com capas da revista Vogue Paris imaginadas por 33 artistas.

Nascida na França em 1971, Joana Vasconcelos foi a primeira mulher e a mais jovem artista a expor no Palácio de Versalhes, em 2012, depois de nomes como Jeff Koons, Xavier Veilhan e Takashi Murakami, tendo sido chamada de “A Rainha de Versalhes” pela revista Madame Figaro. Em 2013, a artista expôs uma obra na mostra Miss Dior, no Grand Palais e foi uma das criadoras selecionadas para a mostra "Women House" no museu da Casa da Moeda de Paris, em 2017.

Entre herança do ready-made e códigos da pop art e do novo realismo francês, Joana Vasconcelos descontextualiza e subverte objetos banais e transformando-os em enunciados plásticos de reflexões sobre o estatuto da mulher, da sociedade e da própria arte.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.