Acessar o conteúdo principal
RFI Convida

Após sucesso na estreia, Grupo Sociedade Recreativa lança segundo álbum na França

Áudio 08:55
O músico carioca Jonathan da Silva exibe o disco "Sociativa", lançado no mês de fevereiro de 2019.
O músico carioca Jonathan da Silva exibe o disco "Sociativa", lançado no mês de fevereiro de 2019. Foto: RFI Brasil/Elcio Ramalho

Lançado em fevereiro, Sociativaé o nome do novo álbum do grupo Sociedade Recreativa, criado na França pela fusão de ritmos tradicionais brasileiros com o universo da música eletrônica. 

Publicidade

O disco é o segundo de um encontro realizado em Lyon, em 2015, entre os três integrantes do Forró de Rebeca com o Dj Maga BO, americano radicado no Rio de Janeiro.

O selo independente Jerrings Effects apostou no projeto, que ganhou nome em homenagem aos locais de encontros no Brasil. Em 2016, a estreia do álbum “Sociedade Recreativa” alcançou uma repercussão surpreendente para o grupo, que levou a profusão de ritmos nordestinos com a música eletrônica a conquistar vários públicos pela Europa e também no Brasil.   

“Fomos escolhidos pela conceituada revista inglesa Songlines como um dos melhores discos do ano e ficamos vários meses no WorldMusic Charts da Europa. Isso nos abriu muitas portas”, recorda Jonathan da Silva, integrante do grupo.

A repercussão do disco os levou a fazer shows pela França, Reino Unido, Dinamarca, Holanda, Suíça, e por diferentes regiões do Brasil. 

O sucesso e a turnê do primeiro disco estimularam os integrantes a apostarem em um outro álbum, concebido paralelamente às carreiras individuais do Dj Maga Bo do grupo Forró de Rebeca.   

“O que nos animou mesmo foi o contato direto com o público”, revela Jonathan ao justificar o estímulo para o novo trabalho.

As novas ideias e composições que resultaram no álbum Sociativasurgiram durante as viagens da turnê, de acordo com Jonathan, músico carioca que se instalou em Lyon, cidade conhecida pela abertura à experimentações musicais e grupos alternativos e independentes.

Ritmos dançantes

No novo trabalho, o espaço para a dança foi primordial nas composições, já que o grupo privilegia as apresentações e o contato direto com o público nos palcos. “Não queríamos perder o elo com a dança. Todos os ritmos estão ligados com a dança. Conseguimos fazer o público participar do processo da música”, afirmou.

Desde o lançamento no dia 1° de fevereiro, o Sociedade Recreativa já passou por Bruxelas, Paris e outras cidades francesas, e se prepara para uma curta temporada no Brasil, antes de voltar para França, em maio. A nova fase também já está inspirando o grupo a dar continuidade ao projeto e uma terceira obra já está em gestação.

“Durante um dia de folga, fomos passear mas logo voltamos para o hotel e começamos a compor. Com todos os instrumentos e um computador, que facilita a gravação, já surgiu uma música nova. O fato de estarmos juntos dá continuidade ao projeto e, acredito, para o terceiro disco”, prevê.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.