Acessar o conteúdo principal
Paris/Lille

Pico de poluição e temperatura elevada provocam adoção de rodízio em Paris

Picos de poluição foram registrados em Paris em razão da onda de calor (Imagem de ilustração)
Picos de poluição foram registrados em Paris em razão da onda de calor (Imagem de ilustração) GEOFFROY VAN DER HASSELT / AFP

A França registra nesta semana dias ensolarados e temperaturas excepcionalmente elevadas para o inverno. Em algumas regiões do país, os termômetros chegaram a 20 graus. Essas condições atmosféricas favorecem a poluição nas grandes cidades e levaram as autoridades de Paris e Lille (norte) a instaurar o rodízio de veículos nesta quarta-feira (27), devido à concentração de partículas finas no ar.

Publicidade

Os dias luminosos e de céu azul, após vários meses de frio e tempo cinza, animam os franceses a ficar na rua. Mas o ar está irrespirável na capital francesa. Desde a semana passada, médicos e meteorologistas deram o sinal de alerta.

Na sexta-feira (22), a agência Airparif, que mede os níveis de gases poluentes, constatou que Paris teve um dia mais poluído que Pequim. Crianças e idosos são os mais vulneráveis, mas a poluição é um veneno que ao longo dos anos diminui a expectativa de vida dos moradores de centros urbanos.

A poluição é causada principalmente pelo tráfego rodoviário e o aquecimento doméstico, que emitem dióxido de nitrogênio e partículas de PM10. Outro elemento que contribui para o pico de poluição é o tempo aberto sem vento. A alta pressão (o anticiclone) "desempenha, além do papel de uma cobertura, impedindo trocas entre as diferentes camadas da atmosfera, o que provoca o acúmulo de poluentes ao longo dos dias", explica a agência MétéoFrance.

Rodízio é organizado por selos adesivos nos carros

O rodízio na França não é organizado pelo final da placa dos carros, mas por um selo adesivo chamado Crit’air, apresentado em seis cores diferentes e numeração que vai de 0 a 5, para o carro mais poluente. A classificação leva em conta o tipo de combustível (elétrico, à gasolina ou à diesel) e o ano de fabricação do automóvel. O adesivo fica colado no para-brisa dos carros.

Poluição Paris / Rodízio
Poluição Paris / Rodízio Reprodução de vídeo

Amanhã, os veículos mais poluentes, que receberam os selos 4 (vermelho) e 5 (cinza), serão proibidos de circular em Paris e mais 12 cidades da periferia próxima, nos departamentos de Hauts-de-Seine, Seine-Saint-Denis e du Val-de-Marne. Apenas os carros com adesivos verde, 1 (roxo), 2 (amarelo) e 3 (laranja) poderão circular. 

Essa proibição também afetará a metrópole de Lille, por causa de um terceiro dia de poluição com partículas finas, diz a prefeitura do norte, que impõe essas restrições pela primeira vez. No caso da capital, será a quarta vez, depois de episódios de poluição registrados em janeiro de 2017, julho e agosto de 2018 (pico de ozônio).

A agência Airparif prevê para amanhã um nível de concentração de partículas finas em Paris acima do limite tolerado, fixado em 50 μg/m3. Na semana passada, a região metropolitana já tinha ultrapassado esse teto na quarta, quinta e sexta-feira (acima de 70 μg/m3), ou seja, concentrações significativas. A prefeita de Paris, a socialista Anne Hidalgo, imediatamente pediu a instauração do rodízio, mas não foi atendida.

Esta é outra diferença em relação ao Brasil: na França, cabe ao Estado autorizar ou não a restrição de circulação. A medida paliativa adotada desde o fim da semana foi reduzir a velocidade máxima de 20 km/h nas estradas e vias de grande circulação. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (Prefecture de Paris), responsável pela aplicação das multas, 22 mil motoristas passaram por controles policiais para reduzir a velocidade e 6.644 multas foram aplicadas.

A chegada de uma frente fria na quinta-feira deve melhorar as condições atmosféricas e provavelmente suspender o rodízio.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.