Acessar o conteúdo principal
Debate/ França

Marine Le Pen erra feio ao citar valor do salário mínimo na França

As candidaturas às eleições europeias estão em destaque na imprensa francesa
As candidaturas às eleições europeias estão em destaque na imprensa francesa Fotomontagem RFI

A disputa para a renovação do Parlamento Europeu, com votação marcada para 26 de maio nos países do bloco, ganha destaque nos jornais desta sexta-feira (15). Essas eleições são consideradas cruciais para o futuro da União Europeia, em razão das forças de extrema direita em ascensão no bloco e que manobram para impor uma derrota aos progressistas e à direita tradicional.

Publicidade

Na França, a ministra dos Assuntos Europeus, Nathalie Loiseau, disse estar "pronta" para encabeçar a lista de candidatos do partido LREM - A República em Marcha, do presidente Emmanuel Macron. Loiseau participou de um debate na noite dessa quinta-feira (14) no canal 2 da TV com a líder da extrema-direita, Marine Le Pen. Mas o que chama a atenção da imprensa hoje não foi a proposta de candidatura da ministra e, sim, as "fake news" ou informações incorretas defendidas por Le Pen.

O jornal Le Monde checou as declarações e aponta cinco sequências desabonadoras para Le Pen. Ela desconhece o valor do salário mínimo pago na França: disse que o montante por hora era de € 36, contra € 4,40 na Bulgária e € 5,50 na Romênia. No entanto, o salário mínimo horário na França vale € 10,03 atualmente. Para as eleições europeias, Macron propõe a adoção de um salário mínimo comum para todos os países do bloco, a fim de evitar a migração dos trabalhadores de um país para outro, uma das razões que motivou a aprovação do Brexit no Reino Unido, por exemplo.

Marine Le Pen também disse que desde o ano passado a vacina contra o sarampo, que voltou a matar na França, era obrigatória no país, o que é falso. Repetiu novamente que o governo passou a dividir o assento que o país possui no Conselho de Segurança da ONU com a Alemanha, outra inverdade. Marine Le pen também divulgou números falsos sobre a taxa de desemprego e a ajuda financeira que migrantes recebem quando entram no território francês.

Novo candidato de esquerda

Ainda sobre as eleições europeias, o site do jornal Libération informa em primeira mão o lançamento da candidatura do ensaísta Raphael Glucksmann, que tenta, sem sucesso, unir a esquerda em torno de uma lista única, moderada. O Partido Socialista deve decidir amanhã se vai se juntar à candidatura de Glucksmann, que fará o anúncio oficial na sexta-feira. Fundador do movimento Praça Pública, ele formará uma dupla com a ativista ambiental Claire Nouvian, diz o Libération em seu site. Os ecologistas pretendem lançar candidatos próprios.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.