Acessar o conteúdo principal
Um pulo em Paris

Jovens franceses são cada vez menos informados sobre HIV nas escolas

Áudio 04:41
RFI e France 24 fazem parte das emissoras que participam do Sidaction 2019
RFI e France 24 fazem parte das emissoras que participam do Sidaction 2019 RFI/FRANCE24

Acontece nesse fim de semana na França o Sidaction, uma campanha de arrecadação de fundos para combater o vírus da Aids. O evento, que completa 25 anos de existência, é a ocasião de chamar a atenção da população para o fato de que apesar dos avanços recentes, a epidemia ainda não foi controlada. As autoridades francesas se preocupam principalmente com os mais jovens, menos conscientes dos riscos.

Publicidade

O Sidaction foi criado por uma associação fundada por Pierre Bergé, o companheiro do estilista francês Yves Saint Laurent. Inspirada no modelo do Teleton, a iniciativa visa incentivar as doações por telefone ou pela internet. Durante três dias mais de 20 emissoras de rádio e televisão (entre elas a RFI e a France 24) participam da operação com uma programação especial.

Em 2018 foram arrecadados mais de € 4 milhões (cerca de R$ 20 milhões). O dinheiro é usado nos programas de pesquisa em busca da cura, na ajuda às associações que acompanham os soroposivos e na prevenção, tanto na França como no exterior.

Estima-se que atualmente 173 mil pessoas vivem com o vírus no território francês, das quais 24 mil não sabem que foram contaminadas. A cada ano 6 mil novos casos são registrados, muitos deles jovens, que baixaram a guarda influenciados pelos avanços registrados nos últimos anos.

Os tratamentos que permitem levar uma vida praticamente normal com o vírus atualmente provocaram uma certa banalização da doença. Por essa razão, um dos slogans escolhidos esse ano é “Não esqueça que o vírus da Aids continua circulando”.

Além disso, as associações alertam para a diminuição da prevenção nas escolas, muito ativas até a primeira década dos anos 2000, quando folhetos explicativos e preservativos eram distribuídos aos alunos e cartazes preventivos eram colocados nos estabelecimentos de ensino. Mas a situaçao mudou e uma pesquisa de opinião divulgada esta semana aponta que 20% dos jovens entrevistados não teriam recebido nenhum tipo de informação específica com HIV e Aids nas escolas.

Um quarto dos jovens entre 15 e 24 anos se consideram mal informados sobre o vírus. Esse número é o dobro do registrado há uma década, o que preocupa os especialistas, que sempre viram nas escolas o melhor locar para fazer a prevenção contra o vírus da Aids e as demais DST.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.