Acessar o conteúdo principal

Imprensa francesa: “Lava Jato gate” mancha ainda mais a imagem de Moro

“Lava Jato gate” é destaque na imprensa francesa nesta terça-feira, 11 de junho de 2019.
“Lava Jato gate” é destaque na imprensa francesa nesta terça-feira, 11 de junho de 2019. Fotomontagem RFI/ José Cruz/Agência Brasil

A “Lava Jato gate” é destaque na imprensa francesa nesta terça-feira (11). Para Le Monde, a revelação de conversas entre o ex-juiz Sérgio Moro e o procurador Daltan Dellagnol “mancham um pouco mais” a imagem de Moro.

Publicidade

O diário ressalta que a reputação do ex-juiz é cada vez mais contestada “desde que ele entrou para o governo de extrema direita de Jair Bolsonaro”, após ser o “xerife” que protagonizou a “queda” do ex-presidente Lula em pleno período eleitoral. A troca de mensagens, divulgada pelo site Intercept, sugere que as investigações se orientaram para impedir o retorno ao poder do “herói” da esquerda, escreve Le Monde.

Os conselhos diretos de Moro aos investigadores afrontam a Constituição. Além disso, as conversas reveladas entre os procuradores da mais importante operação contra a corrupção já realizada no Brasil indicam que eles queriam impedir a volta do PT ao Planalto.

Imparcialidade questionada

“Lula foi vítima de uma armação?”, questiona o jornal Libération, que fala em caso “explosivo” e nota que a imparcialidade de Moro sempre foi questionada, assim como os seus métodos de atuação e seus “abusos”.

“A cruzada anticorrupção do juiz interiorano suscitou, em um primeiro momento, a empatia da opinião pública. Mas, logo, percebeu-se que o seu alvo privilegiado era o Partido dos Trabalhadores, embora todas as forças políticas do Brasil pareçam ter se beneficiado da generosidade da Odebrecht”, assinala Libération.

O diário observa ainda que “a máscara caiu” quando, entre os dois turnos da eleição presidencial, o ex-juiz foi anunciado como futuro ministro da Justiça de Bolsonaro.

Os dois jornais ressaltam que as conversas não provam que Lula é inocente, embora atestem a fragilidade das provas utilizadas para a condenação do ex-presidente.

Caso de estudo

Já L’Humanité vai além e diz na manchete que “a Justiça está em cruzada contra Lula”, e as revelações provam o caráter político da investigação que resultou na prisão do petista. “A Operação Lava Jato vai continuar a ser um caso de estudo assustador para os estudantes brasileiros nas próximas décadas, sobre a desintegração democrática da nona potência mundial e a transformação do Judiciário em ator político de primeiro plano”, afirma L’Humanité.

“Bolha midiática ou bomba-relógio para a Justiça e o governo? Ninguém pode avaliar o potencial do caso, (...) mas poucos duvidam dos estragos que ele terá na carreira de Sergio Moro, que corteja um posto na Corte Suprema”, frisa Le Monde.

 

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.