Acessar o conteúdo principal
França/Justiça

Dono de restaurante francês é julgado por incitação ao estupro em cardápio do dia

Na imprensa francesa, destaque para o julgamento de um dono de restaurante da região parisiense acusado por incitação ao estupro.
Na imprensa francesa, destaque para o julgamento de um dono de restaurante da região parisiense acusado por incitação ao estupro. Fotomontagem RFI

O jornal Libération desta terça-feira (1°) publica um caso chocante. O dono de um restaurante na região parisiense está sendo julgado por incitação ao estupro no cardápio do dia.

Publicidade

Libération conta que a mensagem foi escrita no quadro negro, normalmente usado para anunciar o cardápio do dia e colocado na calçada em frente ao restaurante de Rueil Malmaison, na periferia oeste de Paris. O texto dizia: "Meu segredo para seduzir cabe em três letras: gentileza, humor e blá-blá-blá. Se não funcionar, me contento com as três primeiras letras de cada palavra”. O problema é que o "enigma" forma a sigla GHB, isto é, um ácido sintético conhecido como a "droga do estuprador", explica o jornal progressista.

Além de colocar a mensagem na frente do restaurante em janeiro deste ano, o dono Antoine F., de 46 anos, postou uma foto em um grupo do Facebook destinado aos moradores da cidade.

Incomodadas, duas estudantes e uma antiga professora delas denunciaram no Facebook e no Twitter o caráter sexista do texto. Elas também postaram fotos de outras mensagens machistas do dono do restaurante que foram compartilhadas por várias militantes feministas, que denunciaram a misoginia e a cultura do estupro.

Queixa contra as mulheres

A prefeitura de Rueil Malmaison pediu ao empreendedor para parar com os textos. Mas o dono do restaurante respondeu, pelas redes sociais, que seu objetivo era “trazer um pouco de alegria e bom humor ao cotidiano” e entrou na justiça por ameaça e assédio contra as três mulheres.

“Mais uma vez o assediador consegue desviar a atenção e acusar as vítimas ou as mulheres que o denunciam”, escreve Libération. Apoiadas pela Fundação especializada na defesa dos direitos das mulheres, elas contra-atacaram e o empresário comparece nesta terça-feira (1) ao Tribunal de Nanterre por incitação ao estupro. Ele pode ser condenado a até cinco anos de prisão e € 45 mil de multa.

Piada de mau gosto?

A defesa de Antoine F. alega uma piada de mau gosto. Ao Libération, o acusado diz se arrepender muito, e pede desculpas a quem chocou.

O coletivo de mulheres que entrou na Justiça contra o empresário diz que não aguenta mais ver o humor sendo usado como desculpa para encobrir fatos extremamente graves.

“Esta é simplesmente uma maneira de banalizar comportamentos que são considerados crimes, e ainda por cima no espaço público”, denuncia a advogada do coletivo Sophie Soubiran. Ela espera que a audiência desta terça-feira seja uma oportunidade para uma discussão importante sobre a “violência contra as mulheres usada como forma de publicidade”.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.