Acessar o conteúdo principal
Greta Thunberg/ Ativistas

Jovens franceses inspirados por Greta Thunberg discutem desobediência civil e outras táticas contra o sistema

Greta Thunberg, que inspira jovens e ativistas do mundo inteiro, protesta em frente à Casa Branca, em setembro de 2019.
Greta Thunberg, que inspira jovens e ativistas do mundo inteiro, protesta em frente à Casa Branca, em setembro de 2019. Nicholas Kamm / AFP

A filial francesa da Juventude pelo Clima, movimento juvenil mundial contra o aquecimento global, adotará uma carta de princípios para melhor enquadrar suas ações, sete meses após sua criação, inspirada na luta da sueca Greta Thunberg.

Publicidade

O anúncio foi feito neste sábado (2) em Grenoble, no final da 3ª reunião do movimento, durante a qual cem jovens ativistas ambientais de toda a França passaram uma semana na direção de dar seu movimento, composto principalmente por estudantes do ensino médio e alunos.

Os participantes concordaram em uma estratégia comum que visa "salvar a vida" e "garantir condições para o crescimento coletivo e individual", disseram eles em entrevista coletiva.

"O objetivo do trabalho desta semana era sair com um documento que estabelecesse o que somos e o que queremos", disse um dos organizadores da manifestação, Thomas Kuntz.

"Definimos nossa visão e metas de longo prazo a serem alcançadas de acordo com nossos princípios, e agora precisamos do consentimento de todos os membros", disse o jovem de 17 anos, acrescentando que a ratificação do texto " levará entre duas e três semanas. "

Os jovens ativistas também questionaram a relevância ou não do fortalecimento de seu engajamento, que desejam acima de tudo "não violento", ao mesmo tempo em que se conscientizam do "pouco impacto" das mobilizações passadas nas políticas públicas na França.

"Nós nos perguntamos a questão da desobediência civil, é uma alternativa e há uma variedade de táticas, mas, acima de tudo, queremos participar do desmantelamento do sistema atual de maneira não violenta", diz Thomas Kuntz.

Criada em meados de abril nas Assises, em Nancy (leste da França), esta versão francesa do movimento popularizado por Greta Thunberg reivindica "uma rede muito ativa" de 130 grupos locais "nas grandes cidades e nas aldeias", sem especificar o número total de participantes.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.