Acessar o conteúdo principal
Imprensa/ditadura

Crimes da ditadura militar no Brasil precisam ser punidos, diz Le Monde

Artigo publicado no ornal francês Le Monde.
Artigo publicado no ornal francês Le Monde. monde

Em um texto publicado nesta quarta-feira no jornal Le Monde, Jean Pierre Langellier fala sobre a inércia do governo brasileiro na punição dos crimes cometidos na época da ditadura militar e comenta a promessa da presidente Dilma Rousseff de instauração da Comissão da Verdade, criada no governo Lula.

Publicidade

O título do artigo do jornalista francês, “A Caixa-Preta da Amnésia”, é uma alusão à cobertura do caso do voo AF447, que ganhou grande destaque na imprensa brasileira. Citando diversos presos políticos que desapareceram nos porões da ditadura militar, Langellier questiona a lei da Anistia, de 1979, que absolveu todos os responsáveis (militares, policiais e oposição) pelas torturas cometidas na época do regime. De acordo com dados de um relatório oficial, pelo menos 20 pessoas desapareceram e foram enterradas como indigentes no cemitério de Petrópolis, no Rio de Janeiro. O total de vítimas chega a 475 pessoas.

O Le Monde lembra que o Brasil é o único país da América Latina onde os torturadores do regime continuam impunes. Um site oficial dedicado à repressão nos anos 60 e 70 só foi criado em 2009. O correspondente do jornal francês no Brasil lembra que o ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Lula, os dois vítimas da ditadura, preferiram ‘poupar’ as forças armadas em nome da reconciliação nacional. O governo Dilma deve virar essa página no Brasil, diz o Le Monde. Dilma, que é ex-militante,foi prisioneira durante três anos e torturada durante 22 dias, lembrou com emoção o destino de seus ex-camaradas durante um comício em 2009.

Recentemente, o ministro da Justiça, Eduardo Martins Cardoso, pediu desculpas, em nome do estado, "àqueles que foram torturados." O Le Monde, cita, enfim, uma frase da ministra dos direitos humanos, Maria do Rosário : "é um dever constitucional fechar esse parênteses da transição democrática ." Para recuperar, como diz a jornalista Ruth de Aquino, "a caixa-preta no oceano profundo da amnésia nacional."
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.