Acessar o conteúdo principal
Imprensa/Dilma

Le Figaro diz que Dilma foi a "Joana d'Arc da subversão"

Foto da presidenta Dilma Rousseff em 1970 repercute artigo no jornal francês Le Figaro.
Foto da presidenta Dilma Rousseff em 1970 repercute artigo no jornal francês Le Figaro. RFI

O jornal Le Figaro publica em sua edição de hoje a foto recém-divulgada na imprensa brasileira da presidente Dilma Rousseff no tribunal militar do Rio de Janeiro, quando ela tinha 22 anos e desafiava a ditadura. O diário conservador conta toda a história da militância de Dilma e elogia a coragem inabalável da presidente brasileira.

Publicidade

A correspondente do Le Figaro no Brasil, Lamia Oualalou, começa o artigo dizendo que na foto Dilma aparece magra, jovem, bonita, "quase irreconhecível". Conta que quando ela compareceu diante de seus torturadores, ela não desviou o olhar nem abaixou a cabeça, como fizeram outros prisioneiros políticos. Ao contrário, Dilma demonstrou uma inflexibilidade que a acompanha até hoje.

Le Figaro apresenta a presidente brasileira como a Joana d'Arc da subversão. O diário informa que Dilma decidiu enfrentar os brasileiros que ainda se referem a ela como uma "terrorista ou comunista", criando uma comissão para investigar, pela primeira vez, as violações aos direitos humanos durante o regime militar.

A história de Dilma publicada pelo Le Figaro se tornou a crônica do dia na Rádio France Info, a terceira emissora de informação de maior audiência no país.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.