Acessar o conteúdo principal
Imprensa

Decepção com Sarkozy multiplicou candidaturas de direita

Libération ressalta que a divisão da direita francesa cria dificuldades para o projeto de reeleição do presidente Nicolas Sarkozy.
Libération ressalta que a divisão da direita francesa cria dificuldades para o projeto de reeleição do presidente Nicolas Sarkozy. DR

O anúncio da candidatura do ex-primeiro-ministro Dominique de Villepin às eleições presidenciais mostra a divisão da direita francesa e cria mais dificuldades para o projeto de reeleição do presidente Nicolas Sarkozy, segundo os jornais que circulam nesta terça-feira. Em manchete o Libération escreve que Sarkozy está cercado, em referência aos oito candidatos conservadores já confirmados na corrida presidencial. Eles eram 4 na última eleição, de 2007, lembra o jornal.

Publicidade

O anúncio de Villepin também pegou de surpresa o Palácio do Eliseu, escreve o Libération. Enquanto alguns conselheiros do presidente Sarkozy tentm minimizar o efeito da candidatura dizendo que não está entre as preocupações do chefe de estado, outros colaboradores tentam destruir o projeto de Villepin o mais rápido possível. A estratégica demonstra a que ponto os sarkozystas temem essa divisão da direita. Em editorial, o Libération lembra que 5 anos atrás Sarkozy era o chefe todo poderoso de uma direita unida. Hoje, seu campo político é um quebra-cabeça cheio de peças dispersas, consequência da enorme decepção com o seu governo e suas escolhas ideológicas.

O Le Figaro escreve que o presidente Sarkozy está diante de uma nova guinada da direita e está muito atento em relação à candidatura de Dominique de Villepin mas também com o crescimento do líder centrista François Bayrou nas recentes pequistas de opinião pública.

Mas a manchete principal do jornal é o anúncio do plano estratégico da gigante francesa do setor nuclear, a Areva que está em dificuldade. Em entrevista ao Le Figaro, o presidente da empresa, Luc Oursel, explica poprque o grupo adotou medidas para economizar 1 bilhão de euros até 2015, o que inclui um corte de cerca de 1.200 empregos na França e outros 1.300 na Alemanha. Para o econômico Les Echos, a tragédia de Fukushima com suas consequências sobre a atividade nuclear e investimentos errados atingiram fortemente a número 1 do átomo que se vê obrigada fazer uma grande limpeza contábil para compensar perdas acima de 2,4 bilhões de euros.

Em uma reportagem especial de 4 páginas o La Croix volta a discutir a pertinência de se investir na energia nuclear após a catástrofe de Fukushima. O jornal católico investigou questões como segurança, custos e os argumentos dos que são contra ou a favor de uma tecnologia que será um dos temas mais espinhosos durante a campanha presidencial francesa.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.