Acessar o conteúdo principal
Síria / Violência

Aumenta número de refugiados sírios na Turquia

Campo de refugiados em Gaziantep, construído pelo Crescente vermelho turco.
Campo de refugiados em Gaziantep, construído pelo Crescente vermelho turco. REUTERS/Osman Orsal

A repressão exercida pelo exército contra os rebeldes se intensificou neste sábado, a apenas três dias da data limite estabelecida pela ONU para a retirada das tropas. Pelo menos 128 pessoas foram mortas, entre elas 86 civis, segundo o Observatório sírio dos direitos humanos (OSDH). Cerca de 700 sírios teriam chegado à Turquia nas últimas 24 horas, elevando para 24.000 o número de refugiados no país vizinho. 

Publicidade

Na semana passada, a Turquia acolheu em 36 horas o número record de 2.800 pessoas que fugiam dos ataques dos helicópteros do Exército sírio.

Com a chegada crescente de refugiados, o ministro de Relações Exteriores turco, Ahmet Dayutoglu, anunciou na sexta-feira que pediu à ONU e à comunidade internacional de intervir.

“Nós temos feito esforços para acolher os sírios que fogem da violência em seu país, mas se eles continuarem a chegar neste ritmo, nós precisaremos da ajuda da ONU e da comunidade internacional”, declarou o ministro à imprensa.

Os refugiados sírios são acolhidos em campos nas províncias de Hatay, Gaziantep e Kilis. O governo turco prepara novos locais na província de Sanliurfa a 910 km da fronteira.

Ancara rompeu todo contato com Damasco, seu antigo aliado, e anunciou seu apoio à oposição ao regime de Bashar Al Assad.

Ajuda humanitária

A Organização da conferência islâmica (OCI), que reúne 57 Estados membros, anunciou neste sábado que vai desbloquear uma ajuda humanitária de 70 milhões de dólares para um milhão de sírios atingidos pela violência.

Em março, a OCI anunciou que tinha sido autorizada por Damasco a enviar a ajuda. Nesta época, ela enviou uma missão de avaliação de necessidades à Síria.

“O relatório mostrou que existia uma crise humanitária urgente que atinge aproximadamente um milhão de pessoas”, declarou o secretário geral da OIC, Ekmeleddin Ihsanoglu, durante uma conferência de imprensa em Djeddah.

A ajuda será oferecida em forma de alimentos, remédios e dinheiro. Outra missão da OIC deve avaliar as necessidades dos países que acolhem os refugiados sírios.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.