Acessar o conteúdo principal
Linha Direta

Organização italiana quer evitar suicídios por causas econômicas

Áudio 04:28
Policiais italianos na casa de Giuseppe Pignataro, italiano de 49 anos que se suicidou em Trani após perder o emprego, em 27 de março deste ano.
Policiais italianos na casa de Giuseppe Pignataro, italiano de 49 anos que se suicidou em Trani após perder o emprego, em 27 de março deste ano. DR

As dificuldades econômicas estão produzindo uma onda de suicídios na Itália. Um drama que causa comoção no país, a ponto de uma associação de empresas criar uma rede de ajuda psicológica aberta aos interessados. A organização "Empresas que resistem" (Imprese che resistono) tem o objetivo de permitir que empresários e assalariados falem de seus problemas.

Publicidade

As estatísticas sobre os suicídios por causas econômicas são difíceis de fazer. Os institutos de estatísticas são cautelosos em fornecer estes dados. A mesma coisa ocorre com a imprensa que dificilmente divulga os suicídios para não estimular uma emulação, ou seja, provocar um efeito dominó. Na Itália, 23 pessoas cometeram suicídio desde o inicio de 2012, ou seja, um suicídio a cada quatro dias.

O país está enfrentando problemas desde 2009, atingido pela crise da dívida e por uma série de planos de austeridade destinados a tranqüilizar o mercado, e acabou mergulhando na recessão no final do ano passado. O índice de desemprego atual atingiu 9,3%. Em 2010 187 pessoas se suicidaram por dificuldades econômicas, e em 2009 foi ainda pior, pois registrou 198 suicídios por causa da crise.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.