Acessar o conteúdo principal
Noruega/massacre

Autor de massacre quer ser executado ou absolvido

Anders Breivik, no terceiro dia de julgamento, no dia 18/04/2012.
Anders Breivik, no terceiro dia de julgamento, no dia 18/04/2012. REUTERS/Fabrizio Bensch

Anders Behring Breivik, que responde pela morte de 77 pessoas na Noruega, afirmou nesta quarta-feira, no terceiro dia de julgamento, que só a pena de morte ou a absolvição são veredictos justos para seu processo. Ele se recusou a falar de contatos com outros extremistas que teriam participado da criação dos Cavaleiros Templários, organização mística à qual Breivik afirma pertencer.

Publicidade

"Há apenas dois desfechos justos neste caso: a absolvição ou a pena de morte", declarou o extremista de direita. Como a pena de morte não existe na Noruega, ele pode ser condenado a 21 anos de prisão se for declarado penalmente responsável por "atos de terrorismo". A pena pode ser prorrogada indeterminadamente se ele for considerado uma ameaça para a sociedade.

Mas se o extremista de 33 anos for considerado irresponsável por seus atos, Breivik pode ser internado num hospital psiquiátrico. A sentença está prevista para julho.

Em um manifesto de 1.500 páginas divulgado no dia dos ataques, Breivik afirmou ser membro de uma rede de militantes nacionalistas, os Cavaleiros Templários, que teria sido fundada com outras três pessoas em Londres, em 2002. A polícia norueguesa nunca conseguiu provar a existência desta rede.

No dia 22 de julho de 2011, Breivik detonou uma poderosa bomba em frente a uma das sedes do governo norueguês (em frente ao gabinete do primeiro-ministro), provocando a morte de oito pessoas. Pouco mais tarde, com um uniforme de policial, disparou a sangue frio contra jovens em um acampamento de verão do partido social-democrata na ilha de Utoya, perto de Oslo, matando outras 69 pessoas. A maior parte era de adolescentes.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.