Acessar o conteúdo principal
Linha Direta

Na última audiência, defesa tenta provar sanidade mental do atirador Breivik

Áudio 04:19
Geir Lipepstad, advogado do assassino norueguês Anders Behring Breivik, faz seu último pronunciamento no Tribunal de Oslo, nesta sexta-feira.
Geir Lipepstad, advogado do assassino norueguês Anders Behring Breivik, faz seu último pronunciamento no Tribunal de Oslo, nesta sexta-feira. REUTERS/Heiko Junge/NTB Scanpix/Pool

Na última audiência do processo de Anders Behring Breivik, julgado pelo massacre de 77 pessoas no ano passado na Noruega, o principal advogado de defesa pediu nesta sexta-feira  "a pena mais clemente possível" para seu cliente.Há exatos onze meses, Breivik atirou contra dezenas de jovens do movimento trabalhista reunidos na ilha de Utoya, matando 69 pessoas, em sua maioria adolescentes. Um pouco antes ele já havia explodido uma bomba perto da sede do governo em Oslo, deixando oito vítimas.Neste programa conversamos sobre o caso com a jornalista brasileira Elaine Silva, que vive na capital norueguesa. Ela destaca que a principal questão deste julgamento é a saúde mental de Breivik. O atirador quer ser reconhecido  plenamente responsável pelos seus atos no momento dos crimes. Nesta quinta-feira a promotoria pediu que ele cumpra pena em um hospital psiquiátrico porque ainda havia dúvidas sobre sua saúde mental, uma decisão que não foi bem recebido pela opinião pública norueguesa e pelos familiares das vítimas. 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.