Acessar o conteúdo principal
Brasil/Violência

Nova ocupação de favelas no Rio repercute na imprensa francesa

Policiais na entrada da favela do Jacarezinho na zona norte do Rio de Janeiro.
Policiais na entrada da favela do Jacarezinho na zona norte do Rio de Janeiro. REUTERS/Sergio Moraes

Os jornais, sites e a televisão francesa destacam neste domingo a operação da polícia carioca para ocupar as comunidades do Jacarezinho e de Manguinhos no Rio de Janeiro. Para a imprensa francesa, as favelas estão entre as mais violentas da cidade. Na avaliação dos jornalistas, o governo acelera a ocupação das favelas de olho na Copa do Mundo e nos Jogos Olímpicos.

Publicidade

Cerca de 900 policiais da Polícia Militar, incluindo os Batalhões de Operações Policiais Especiais (Bope), de Choque com apoio o apoio de tanques dos Fuzileiros Navais, iniciaram na madrugada deste domingo uma operação de pacificação nas favelas de Manguinhos e do Jacarezinho. Segundo informações da polícia, a ação preparará as comunidades para receber em alguns meses uma Unidade de Polícia Pacificadora. Essa será a 29ª UPP do Estado do Rio de Janeiro.

Em entrevista à RFI, o porta-voz da Polícia Militar do Rio de Janeiro, o coronel Federico Caldas, avaliou a situação nas primeiras horas após a ocupação . "Esse balanço preliminar é muito positivo, porque o grande objetivo desse processo de pacificação é a retomada do território com um mínimo de possível de efeitos colaterais". 

Segundo relatos de jornalistas da agência de notícias AFP, durante a entrada na favela do Jacarezinho foram ouvidos tiros, mas a imprensa brasileira  e a polícia reiteram afirma que a operação foi rápida e pacífica.  O jornal Le Monde e o jornal Le Figaro informam em seus sites que os policiais começaram a cercar os arredores das favelas já na sexta-feira e que ontem cinco supostos chefes do tráfico de drogas nessas comunidades foram mortos quando tentavam fugir.

Na avaliação do site do jornal Le Telegramme, a operação policial foi “espetacular”, mas o texto lembra que apesar dessa “limpeza” iniciada pelo governo em 2008, os traficantes sempre conseguem “se mudar para outros locais”.

Copa do Mundo e Olimpíadas

Para a imprensa francesa, está claro que o governo tenta acelerar a pacificação das favelas e retomar o controle ads mãos dos traficantes antes da Copa do Mundo sediada pelo Brasil em 2014 e dos Jogos Olímpicos que acontecerão no Rio de Janeiro em 2016.

O porta-voz da PM confirma os esforços para melhorar a segurança no Rio. "Há um cronograma de segurança que prevê a implantação de 40 UPPs até 2014". Segundo Caldas, o esquema vai propiciar um "cordão de segurança" em torno da cidade e assegurar a organização dos eventos esportivos. 

Mas há críticas quanto à eficácia da operação. Depois da operação de ocupação policial do Complexo do Alemão em 2010, vários traficantes se refugiaram nas favelas de Jacarezinho e de Manguinhos, na zona norte do Rio. No entando, segundo a polícia, as operações coordenadas de inteligência vão evitar essa migração dos traficantes e vão sufocar as suas redes de aliados.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.