Acessar o conteúdo principal
Fato em Foco

Antissemitismo cresceu na França após matança de Toulouse

Áudio 04:15
Um homem deixa flores em frente a escola judaica Ozar Hatorah, em Toulouse, onde um homem matou quatro pessoas em março de 2012.
Um homem deixa flores em frente a escola judaica Ozar Hatorah, em Toulouse, onde um homem matou quatro pessoas em março de 2012. ©Reuters.

Nesta quinta-feira, em Toulouse, no sudoeste da França, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahou, ao lado do presidente François Hollande, homenageiam as vítimas judias do terrorista Mohamed Merah - três crianças e um professor - assassinados na escola judaica Ozar Hatorah, em 19 de março deste ano.O antissemitismo cresceu no país depois desta tragédia,segundo Sammy Gozland, presidente do Gabinete Nacional de Vigilância e Luta contra o Antissemitismo. O especialista explica que o matador de Toulouse passou a ter cada vez mais admiradores nos meios islamitas radicais, que o eleveram ao estatuto de herói. Diversas cidades têm mesquitas com imãs radicais que pregam discursos antissemitas, afirma Gozlan, citando Montpellier, Marselha, Narbone, Toulouse, Estrasburgo e Lille.As agressões antissemitas aumentaram 45% nos oito primeiros meses deste ano, em relação ao mesmo período em 2011.  

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.