Acessar o conteúdo principal
Reportagem

Guadalupe terá o primeiro memorial da escravidão do Caribe

Áudio 01:51
Thierry L'Etang, chefe do projeto cultural e cientifico do Memorial Acte que sera construido em Guadalupe.
Thierry L'Etang, chefe do projeto cultural e cientifico do Memorial Acte que sera construido em Guadalupe. Maria Emília Alencar

Um antigo engenho de açúcar que se transformou numa fábrica de rum, em atividade até os anos 60, cederá lugar para o primeiro Memorial sobre a escravidão do Caribe, que será construído em Pointe à Pitre, capital da ilha de Guadalupe, nas Antilhas francesas. A “pedra fundamental” do projeto foi lançada durante um colóquio internacional sobre a escravidão que reúne até esta quinta-feira, 21 de novembro em Guadalupe, diversos especialistas sobre o tema. O Memorial Acte, como é chamado, ocupará um espaço de 4500m² a beira mar, divididos em salas de exposições e espetáculos, bares, lojas e esplanadas para concertos e animações diversas. Segundo o chefe do projeto científico e cultural do Memorial Acte, Thierry L’Etang, a ideia é construir um espaço de memória sobre o tráfico negreiro e sobre a escravidão no Caribe e no mundo, que possa dialogar com a arte contemporânea, rememorando o passado, mas se projetando no futuro.Enviada especial a Pointe à Pitre.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.