Acessar o conteúdo principal
Clima

Inverno prolongado e fora de época provoca estragos na Europa

Mãe transporta filhos em trenó pelas ruas cobertas de neve em Budapeste (Hungria).
Mãe transporta filhos em trenó pelas ruas cobertas de neve em Budapeste (Hungria). REUTERS/Laszlo Balogh

Apesar de o calendário já indicar a primavera, os termômetros na maior parte da Europa continuam a registrar temperaturas típicas do auge do inverno. Nesta segunda-feira na Rússia, a capital Moscou amanheceu coberta por uma camada de 65 centímetros de neve, um recorde para o mês de abril. De acordo com a agência Interfax, a espessa camada de neve registrada em uma saída do metrô de Moscou é 9 centímetros superior às máximas registradas em 1895 e em 1942.

Publicidade

A segunda-feira em Moscou continua a ser marcada pela neve, mas, segundo as previsões climáticas as temperaturas devem aumentar até o final da semana e voltarem a ficar acima de zero.

No leste da Europa, o frio também continua a castigar a população. Na Polônia, mais de 100 mil casas continuam sem energia elétrica na manhã desta segunda-feira nas regiões central e nordeste da Polônia devido a nevasca no final de semana. O acúmulo de neve provocou a queda de galhos de árvores sobre a rede elétrica provocando a pane. Só na periferia da capital Varsóvia, são mais de 80 mil casas sem energia. Os 30 centímetros de neve acumulada também provocaram muitos problemas de circulação nas rodovias.

Na República Tcheca e na Eslováquia as baixas temperaturas provocaram a queda de neve que chegou a 40 centímetros de altura perturbando o movimento nas principais estradas desses dois países. No Reino Unido, o inverno prolongado prejudica a agricultura. O frio aliado ao excesso de chuvas reduziu em 13% a produção de grãos na safra deste ano e em 53% a produtividade da pecuária, informa a associação britânica Prince’s Countryside Fund. A diretora da associação, Victoria Harris, afirma que os produtores rurais, que já estão em uma situação difícil após 12 meses de condições climáticas difíceis, têm que enfrentar “mais semanas de dificuldade à espera de temperaturas mais quentes”.

Na França, as autoridades alertam para o risco de avalanches nos Alpes e também na Córsega. A Météo-France, agência de previsões climáticas, afirma que o alerta é válido até essa segunda-feira à noite. Segundo especialistas, o frio no norte da Europa ainda deve continuar pelo menos pelos próximos 10 dias.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.