Acessar o conteúdo principal
Reportagem

Em Paris, Marina Silva comenta polêmica envolvendo Marco Feliciano

Áudio 07:36
A ex-ministra Marina Silva participou de um debate nesta segunda-feira, 15 de abril de 2013, em Paris.
A ex-ministra Marina Silva participou de um debate nesta segunda-feira, 15 de abril de 2013, em Paris. RFI

Marina Silva participou nesta segunda-feira em Paris de uma mesa redonda sobre arte, psicanálise e política, onde apresentou ao público francês a proposta de seu novo movimento político, a Rede Sustentabilidade. Em entrevista exclusiva à RFI Brasil, ela comentou a polêmica envolvendo o presidente da comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, Marco Feliciano, acusado de ter feito declarações preconceituosas contra homossexuais, negros e mulheres.

Publicidade

"A crítica que se deve fazer não é pelo fato de Marco Feliciano ser um pastor evangélico, é porque ele não tem preparo e tradição para assumir essa comissão", disse Marina Silva, apontando que o governo usou as comissões encarregadas de direitos humanos e meio ambiente como moeda em troca de apoio político porque não considera esses temas importantes.

No evento realizado na Escola Nacional Superior de Belas Artes, a ex-ministra do Meio Ambiente e ex-senadora debateu sobre o conceito de sustentabilidade e sobre a necessidade de uma nova maneira de fazer política com os psicanalistas Alain Didier-Weill e Paolo Lollo e o artista plástico Jean Daviot.

Candidata à presidência do Brasil em 2010, quando ficou em terceiro lugar no primeiro turno, Marina Silva afirmou que seu novo partido, Rede Sustentabilidade, tem um projeto a longo prazo de mudar a cultura política no Brasil e sua candidatura em 2014 ainda é apenas uma possibilidade.

"Nós vamos fazer essa discussão em 2014. Esse processo que antecipa as eleições é muito empobrecedor. É como se fosse um barulho político para que as pessoas não elaborem projetos nem assumam compromissos", explicou ela. 

Marina Silva afirmou que agora seu movimento está focado no recolhimento das assinaturas necessárias para se tornar um partido legalmente registrado. De acordo com ela, do total de 500 mil assinaturas exigidas pela lei, mais de 200 mil já foram reunidas desde o lançamento do projeto, em fevereiro.

Além de participar do debate na Escola Nacional Superior de Belas Artes, Marina Silva se encontrou na manhã desta segunda-feira com a ministra francesa da Habitação, Cécile Duflot, ex-secretária-geral do Partido Verde, para conversar sobre a questão da governança ambiental global.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.