Acessar o conteúdo principal

Jornais destacam casamento homossexual e resultados do leilão de petróleo no Brasil

Getty Image

O Brasil recebe destaque em dois jornais franceses nesta quinta-feira (16). O diário católico La Croix informa que a justiça brasileira autorizou o casamento homossexual e o econômico Les Echos comenta os resultados do leilão de lotes de exploração de petróleo no norte e nordeste, comemorado pela companhia francesa Total, que acredita ter ficado com os melhores blocos de reservas.

Publicidade

O jornal La Croix comenta que a justiça brasileira não esperou a decisão do Congresso para autorizar o casamento homossexual no Brasil, com a decisão tomada pelo Conselho Nacional de Justiça. O órgão é apresentado como uma instituição que garante a autonomia do Judiciário, e votou a favor do casamento gay por maioria esmagadora, já que dos 15 representantes somente um votou contra.

O La Croix lembra que o Brasil é o país com o maior número de católicos no mundo, e apesar da pressão dos evangélicos e de outros grupos da Igreja contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo, prevaleceu a decisão da justiça e isso a poucas semanas da visita do papa Francisco ao país.

La Croix acrescenta que tanto o CNJ como o Supremo Tribunal Federal são presididos por Joaquim Barbosa, "homem próximo do ex-presidente Lula". Em tese, a decisão de obrigar todos os Estados brasileiros a realizar casamentos homossexuais pode ser contestada no STF, mas isso é pouco provável devido à jurisprudência criada pelo Supremo.

Francesa Total retorna ao setor petroleiro no Brasil

O leilão dos blocos de petróleo no início da semana também chama a atenção da imprensa francesa. O jornal Les Echos já havia dedicado uma página inteira ao leilão na terça-feira e hoje apresenta os resultados aos leitores, com a informação de que a francesa Total estima ter conseguido arrematar os melhores lotes dos 289 que foram à leilão.

A Total obteve dez lotes de exploração e vários deles estão localizados na Amazônia, em uma área com forte potencial. Havia muitos anos que a companhia francesa não participava de leilões no país, pelo menos desde o fim do monopólio da Petrobras na década de 1990. O especialista brasileiro Adriano Pires, ouvido pelo jornal, opina que a Total cometeu um erro estratégico ao se ausentar do mercado brasileiro logo após a descoberta do pré-sal, dando prioridade a investimentos na África, e agora tenta recuperar os investimentos perdidos.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.