Acessar o conteúdo principal
Fato em Foco

Pavilhão Brasil em Frankfurt ressalta diversidade da literatura do país

Áudio 05:17
O Pavilhão Brasil, uma das principais atrações deste ano, foi inaugurado na noite de ontem(8) pela ministra da Cultura, Marta Suplicy.
O Pavilhão Brasil, uma das principais atrações deste ano, foi inaugurado na noite de ontem(8) pela ministra da Cultura, Marta Suplicy. RFI

A Feira do Livro de Frankfurt, o maior evento editorial do mundo que este ano homenageia a literatura brasileira, abre suas portas nesta quarta-feira, mas somente para o público profissional : editores, livreiros, tradutores de mais de 100 países. Frankfurt é antes de mais nada uma feira de negócios, de compra e venda de direitos autorais. O grande público só poderá visitar o evento no final de semana.O Pavilhão Brasil, uma das principais atrações deste ano, foi inaugurado na noite de ontem pela ministra da Cultura, Marta Suplicy. O espaço de 2500 metros quadrados foi projetado pela cineasta Daniela Thomas e pelo arquiteto Felipe Tassara. Na era digital, o Pavilhão « Brasil um país cheio vozes » foi bolado quase todo em papel em homenagem a literatura impressa.Até do dia 13 de outubro, cerca de 30 palestras e encontros com os 70 escritores brasileiros que integram a comitiva oficial, além de intervenções artísticas, acontecem no local.Depois da inauguração, a ministra Marta Suplicy concedeu uma entrevista exclusiva à RFI, falou dos objetivos dessa participação e do eco das manifestações brasileiras em Frankfurt na cerimônia de abertura, com as vaias ao vice-presidente Michel Temer pela plateia.A escritora Ana Maria Machado, presidente da Academia Brasileira de Letras, confirma a variedade que caracteriza a literatura brasileira atual e convida o público de Frankfurt a mergulhar nessa diversidade.Ela também comentou uma outra polêmica envolvendo a seleção de 70 autores para participar do evento : o gigantismo :  

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.