Acessar o conteúdo principal
China

Sonda espacial chinesa pousa na lua neste sábado

Lançamento do foguete com o veículo de exploração teleguiado "Coelho de Jade".
Lançamento do foguete com o veículo de exploração teleguiado "Coelho de Jade". REUTERS/China Daily

A China tornou-se neste sábado a terceira potência, após os EUA e a ex-União Soviética, a conseguir chegar à superfície lunar. A sonda espacial Chang'e 3 levando a bordo o veículo de exploração teleguiado chamado "Coelho de Jade" aterrissou com sucesso. O pouso controlado foi o primeiro desde 1976.

Publicidade

A sonda espacial foi lançada da base aérea de Xichang no último dia 2 de dezembro. O processo de pouso começou pela manhã. Às 8h12 em Paris (11h12 em Brasília), o equipamento pousou no solo lunar numa região conhecida como “Baía do Arco-Íris”. A imprensa oficial chinesa anunciou o “sucesso” da operação e mostrou as imagens da sala de controle em Pequim onde os engenheiros e técnicos comemoravam o pouso.

Toda a operação desde a decolagem no começo deste mês tem sido veiculada com destaque pela televisão chinesa. O feito tecnológico é apresentado como um motivo de orgulho nacional. A escolha do nome do veículo de exploração mobilizou milhões de internautas nas redes sociais chinesas. O nome "Coelho de Jade" foi inspirado em uma deusa lunar tradicional na mitologia chinesa.

O novo equipamento tem painéis solares para obter energia e tem o objetivo de realizar análises científicas e enviar à Terra imagens em três dimensões. A sonda funcionará durante três meses e poderá se deslocar a velocidade máxima de 200 metros por hora.

A ambição do governo chinês é enviar um astronauta em uma missão tripulada para a Lua em dez anos. Mas, segundo analistas, a tecnologia chinesa ainda precisa de muitos avanços. Até o momento, a China apenas repetiu o que os Estados Unidos e a ex-União Soviética fizeram há décadas.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.