Acessar o conteúdo principal
Imprensa

Jogos de Sochi são aposta de Putin para melhorar imagem da Rússia

O presidente russo Vladimir Putin visita  a vila olímpica de Sochi.
O presidente russo Vladimir Putin visita a vila olímpica de Sochi. REUTERS/Pascal Le Segretain

Os Jogos Olímpicos de Sochi na Rússia são o grande destaque da imprensa francesa da manhã desta sexta-feira (07). E não é só o aspecto esportivo que interessa. Na verdade, é a polêmica em torno dos custos colossais dessas Olimpíadas e as diversas polêmicas que cercam a competição que atraem os jornais. Para a a imprensa,  a grande figura das competições é o presidente russo Vladimir Putin.  

Publicidade

O jornal católico La Croix afirma na manchete que os jogos de Sochi são a grande aposta do presidente Putin. Com um evento grandioso e bilionário, o chefe de Estado russo espera dar uma nova imagem de seu país para o mundo. Ele também espera recuperar o status de grande potência internacional perdido com o fim da era soviética. Para isso, escreve o jornal em editorial na capa, o governo russo não mediu esforços. Instalou os jogos em um balneário que não tem tradição de esportes de inverno e, para adaptar o espaço, jogou para escanteio as questões ambientais.

O jornal L'Humanité também bate nessa tecla dos custos "faraônicos" dos jogos. O diário comunista noticia que a população russa está cada vez mais descontente. A economia russa, que perdeu velocidade, e a inflação são os vilões que podem levar a graves tensões sociais, prevê o jornal.

Polêmica

O diário econômico Les Echos cita os custos bilionários, mas também dá ênfase às polêmicas que cercam esses jogos. Mais de 40 mil homens vão trabalhar na segurança do evento usando a mais avançada tecnologia militar, mas os riscos de atentado são grandes.

Outra polêmica foi o projeto olímpico em si. Em Sochi, quase tudo foi construído para abrigar as competições, o que justificaria um custo tão elevado de quase 130 bilhões de reais. Mas, segundo o jornal, entre 20% e 60% dos gastos poderiam ter sido desviados por causa da corrupção.

A questão dos direitos humanos também não foi esquecida pelo diário que lembra que a Rússia aprovou uma lei contra a "propaganda gay" que é considerada homofóbica. Perto do começo dos jogos, para tentar melhorar a imagem, Putin fez alguns gestos humanitários liberando, por exemplo, as integrantes do grupo punk Pussy Riot que estavam na cadeia. A medida, porém, não foi suficiente para mudar essa aura de presidente de "mão de ferro".

Desempenho esportivo

O jornal Aujurd'hui en France destaca o lado esportivo dos jogos.  Ao todo, serão 6 mil atletas de 90 países. A França terá 116 atletas e espera superar a marca dos jogos anteriores, atingindo 11 medalhas neste ano.

Na imprensa esportiva, especialmente nos sites, houve também espaço para a competição de patinação artística masculina que começou ontem antes mesmo da abertura dos jogos. Florent Amodio, o patinador nascido no Brasil e adotado por franceses, teve um bom desempenho e é uma das esperanças de medalha da França, diz o site do Le Parisien.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.