Acessar o conteúdo principal
França

Lar para idosos produz vídeo sobre amor na 3ª idade e causa impacto na França

Áudio 06:23
Frame do vídeo do lar para idosos Villa du Tertre mostra casal se beijando.
Frame do vídeo do lar para idosos Villa du Tertre mostra casal se beijando. Reprodução vídeo

O lar para idosos Villa du Tertre, na região francesa de Champagne-Ardenne, não imaginava a repercussão que teria um vídeo criado para o dia dos namorados, comemorado 14 de fevereiro na França. Embalado por uma versão de "All you Need is Love", dos Beatles, as imagens mostram casais desta casa de repouso trocando carícias e beijos. A instituição pretendia passar a mensagem de que não há limite de idade para amar. Mas a grande repercussão do vídeo reabriu o debate na França sobre a sexualidade dos idosos. Muitos lares para pessoas da terceira idade proíbem as relações amorosas entre seus residentes.

Publicidade

Para conferir o programa, clique no botão "Ouvir"

A diretora do lar Villa du Tertre, Maguelonne Legaie, se surpreendeu com o impacto que o vídeo causou. Mas acredita que o debate sobre a sexualidade dos idosos é válido. "Viver é continuar a ter emoções, sejam elas tristeza, amor, alegria... Se amamos, é porque ainda estamos vivos. Afinal, nosso corpo envelhece, mas nossos espíritos não. Além disso, amar implica na liberdade pessoal e os direitos de cada ser humano", diz.

Maguelonne ressalta que o preconceito começa na própria família. Muitos não aceitam que seus pais e avós encontrem companheiros e namorem nos lares para idosos. “Há casos em que nossos residentes redescobrem o amor. Observo que isso é complicado para as famílias: aceitar que uma pessoa que tem 80 anos ainda possa amar. Além disso, lidar com o fato de que uma mãe idosa ou um pai idoso continue a sentir essas emoções mexe com a ordem da família: é como se os pais passassem a ser filhos ou netos", completa.

Sexo não tem data de validade

O geriatra Salo Buksman, da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, diz que o sexo não tem data de validade. “Por mais idosas que sejam as pessoas, elas sempre podem praticar a sexualidade até o final de suas vidas”, garante.

Para ele, o maior preconceito da sociedade é com os idosos que são solteiros ou viúvos, mas que continuam em busca de relações amorosas ou sexuais. “É hipocrisia condenar aqueles que querem iniciar um relacionamento em uma fase mais tardia: a sexualidade é uma afirmação de vida”, reflete.

Uma questão de saúde

A psicóloga e sexóloga Carolina Freitas acredita que a longevidade está relacionada com a qualidade da vida sexual dos indivíduos. Para ela, a sexualidade é uma questão de saúde. “Para a pessoa ter uma vida saudável, é necessário que ela exercite sua sexualidade. A saúde sexual faz parte da saúde como um todo”, explica.

Entretanto, de acordo com Carolina, é necessário diferenciar sexo de sexualidade. “A sexualidade vai além do coito e da reprodução”, sublinha. “O idoso sente o prazer de tocar e ser tocado, mas ele também em outras formas de viver sua sexualidade, como amor, amizade, relacionamento, companhia”, conclui.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.