Acessar o conteúdo principal
Síria/Crise humanitária

Desnutrição pode matar quase 2 mil crianças sírias refugiadas no Líbano

Nos campos de refugiados do Líbano, 6% das crianças sírias com menos de 5 anos estão com desnutrição aguda severa.
Nos campos de refugiados do Líbano, 6% das crianças sírias com menos de 5 anos estão com desnutrição aguda severa. Acnur

O alerta foi dado pela Unicef nesta terça-feira (25), preocupada com a crise que afeta as crianças sírias com menos de 5 anos que estão refugiadas com suas famílias no Líbano. Vivendo em condições deploráveis, elas podem morrer de desnutrição.  

Publicidade

" A desnutrição é uma ameaça nova e silenciosa entre os refugiados no Líbano", declarou Annamaria Laurini, a representante do Fundo das Nações Unidas para a infância (Unicef) durante a apresentação do relatório sobre as atividades da instituição em 2013.

As causas citadas são diversas: má higiene, água insalubre, doenças, falta de vacinação e má alimentação para as crianças. Das 200 mil que deixaram o país, cerca de 2.000 com menos de 5 anos "podem morrer e precisam de um tratamento médico para sobreviver", adverte o relatório.

As regiões libanesas mais afetadas são o norte e o leste, onde os casos de desnutrição aguda severa dobraram de 2012 para 2013.

Segundo a Unicef, a situação pode "degenerar rapidamente devido ao aumento dos preços dos alimentos e do número de refugiados", que não param de chegar no território do Líbano, país de quatro milhões de habitantes e recursos financeiros limitados.

Urgência

O responsável de Saúde e Nutrição da Unicef no Líbano, Zeroual Azzeddine, observa que as crianças com idade abaixo de 5 anos são as mais vulneráveis, especialmente quando vivem nas condições difíceis dos acampamentos. "O nível de urgência é quando 15% das crianças são atingidas, estamos com 6%, o que consideramos um começo de crise".

O  Líbano é o país que abriga o maior número de refugiados sírios: quase 1 milhão de pessoas, seguido por Turquia, Jordânia, Iraque e Egito.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.