Acessar o conteúdo principal
Acidente/avião

Autoridades continuam sem pista de avião desaparecido

A leitura de um radar militar indicou que o Boeing 777-200 da Malaysia Airlines pode ter desviado a rota para retornar a Kuala Lumpur antes sumir.
A leitura de um radar militar indicou que o Boeing 777-200 da Malaysia Airlines pode ter desviado a rota para retornar a Kuala Lumpur antes sumir. REUTERS/Malaysian Maritime Enforcement Agency/Handout via Reuter

Continua o mistério em torno do Boeing 777 da Malaysia Airlines mais de 48 horas depois que o aparelho sumiu dos radares. Vários objetos vistos nas últimas 24 horas na costa do Vietnã não pertencem ao avião. As autoridades chinesas cobram maior empenho das autoridades da Malásia nas investigações sobre o desaparecimento da aeronave.

Publicidade

Inicialmente, as equipes de busca chegaram a pensar que se tratava de um bote salva-vidas, mas a hipótese foi descartada. As autoridades que participam da busca informaram que a peça encontrada é, na verdade, um objeto coberto de espuma. Eles não informaram, porém, se ele poderia pertencer a uma aeronave.

Sete países estão mobilizados nas buscas no Mar da China, com pelo menos 34 aviões e 40 barcos, mas, até agora, nenhum sinal do aparelho da Malaysia Airlines que transportava 239 pessoas. A zona de buscas se estende por um perímetro de 200 km ao longo da região costeira ao sul do Vietnã. Helicópteros vietnamitas foram enviados nesta manhã à ilha de Tho Chu onde haviam sido vistos traços de combustível. O material foi encaminhado pra análise.

“Não descartamos nehuma hipótese”, declarou o diretor da aviação civil da Malásia Azharuddin Abdul Rahman. Ele também lamentou que, até a manhã desta segunda-feira (10), nenhuma pista contundente tenha sido encontrada. "Infelizmente não encontramos nada que pudesse vir do avião [desaparecido] ou de outro avião”.

O diretor da aviação civil da Malásia confirmou ainda a informação de que cinco passageiros que detinham bilhetes do voo MH 370 despacharam suas malas, mas não embarcaram. A companhia aérea afirma, porém, que, assim que foi constatada a ausênsia desses passageiros no avião, as malas foram retiradas.

China

O governo da China pediu hoje que a Malásia “intensifique os esforços” para localizar o Boeing 777. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Qin Gang, declarou que seu país "está convencido que a Malásia está fazendo o melhor possível”. Ele argumentou, contudo, que é preciso que as autoridades malaias considerem a situação dos familiares dos passageiros do avião desaparecido. No total, 153 pessoas a bordo do voo da Malaysia Airlines eram chineses.

O voo da Malaysia Airlines tinha  227 passageiros de 14 nacionalidades e 12 membros da tripulação. Ele deveria fazer a rota entre Kuala Lumpur e Pequim, mas sumiu dos radares uma hora após a decolagem. Segundo as informações preliminares, nenhum pedido de socorro ou alerta foi emitido.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.