Acessar o conteúdo principal
Reportagem

Para aniversário de 110 anos, Feira de Paris tem espaço sensual

Trufas supostamente afrodisíacas são novidade da Feira de Paris neste ano.
Trufas supostamente afrodisíacas são novidade da Feira de Paris neste ano. RFI

Máquina de lavar roupa ou louça, torradeira, aspirador, lentes de contato. Todos esses objetos, hoje tão comuns, um dia foram a grande inovação da Feira de Paris. O evento, uma referência mundial nos lançamentos que facilitam o cotidiano, completa 110 anos em 2014 e abriu as portas neste 1º de maio.

Publicidade

Para comemorar o aniversário, a Feira de Paris deste ano inaugurou um novo espaço apimentado, de sex shop, uma prova de que a criatividade dos inventores também é útil entre quatro paredes. No local, proibido para menores de 16 anos, os visitantes podem experimentar cremes e velas comestíveis, receber dicas personalizadas sobre como aumentar o prazer do companheiro ou aprender receitas afrodisíacas.

A trufa, um dos ingredientes preferidos dos franceses na cozinha, também pode dar um novo estímulo no casal. Um stand inteiramente dedicado às trufas ocupa lugar de destaque no “Espace Coquin” do salão, em meio ao pavilhão de produtos de bem-estar.

“Estudos recentes mostram que as trufas têm elementos similares à testosterona, o hormônio do prazer que homens e mulheres possuem. Por isso a trufa pode ajudar!”, promete a vendedora Alba. “Diz a lenda que a condessa de Pompadour já usava trufas para animar as noites com Luís 15. Na época, o rumor de que elas eram afrodisíacas já existia.”

Estímulo à produção nacional

Em plena campanha pelo retorno da indústria francesa para retomar a economia, uma empresa oferece brinquedos eróticos somente fabricados na França. Conforme Sébastion Lecca, o que faz mais sucesso é a Tour en folle, um sex toy em forma de torre Eiffel.

“Nós somos o país do amor e do romantismo, mas hoje em dia só conhecemos produtos made in China. Queremos reverter essa tendência”, afirma. “Aqui, no Prazer da França, tudo é 100% made in France.”

Depois de visitar os pavilhões mais populares, os de utensílios para a casa, os frequentadores estavam contentes de circular por um espaço mais descontraído, e gostaram da novidade da Feira de Paris deste ano. “As pessoas não ousariam ir no salão do erotismo, mas aqui elas têm coragem de dar uma olhada, no meio das outras coisas. Esse espaço permite dar mais liberdade à libido”, comenta o visitante Christophe Poisson.

Cerca de 600 mil pessoas costumam visitar a Feira de Paris. Quem abre a carteira está disposto a gastar quantias altas: o valor médio das compras é de 700 euros (2,1 mil reais) por pessoa. O evento se encerra no dia 11 de maio, na Porte de Versailles.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.