Acessar o conteúdo principal
OMS/Álcool

Consumo de álcool cresce e mata mais de 3 milhões de pessoas por ano

O consumo nocivo de álcool faz mais de 3 milhões de vítimas no mundo.
O consumo nocivo de álcool faz mais de 3 milhões de vítimas no mundo. hinduhumanrights.info

O álcool mata todo ano 3,3 milhões de pessoas, ou seja, mais do que a Aids,tuberculose e a violência juntas, advertiu nesta segunda-feira (12) a Organização Mundial da Saúde (OMS). Os especialistas temem um agravamento da situação diante da falta de ações de prevenção.

Publicidade

Mais de 200 doenças estão relacionadas ao consumo de álcool de acordo com o relatório da OMS, uma agência da ONU. Em 2012, o uso nocivo do álcool matou 3,3 milhões de pessoas em todo o mundo, contra 2,5 milhões em 2005, segundo a organização que denuncia uma falta de ação das autoridades.

"Diante do crescimento da população mundial e do aumento previsto do consumo de álcool, o índice da mortalidade devido ao álcool poderá aumentar ainda mais", alertou o diretor-adjunto geral do grupo de doenças não transmissíveis da OMS, Oleg Chestnov.

Doenças infecciosas, acidentes de veículos, ferimentos, homicídios, doenças cardiovasculares, diabetes... 5,9% de mortes no mundo (7,6% dos homens e 4% das mulheres) todos os anos estão vinculadas ao álcool. E a situação deve piorar na medida em que países superpopulosos registram um aumento do nível de vida.

Explosão de consumo nos países emergentes

Embora os países ricos continuam sendo os maiores consumidores de álcool, o consumo cresceu nos últimos anos principalmente na Índia e na China, e se manteve estável em países da Europa, das Américas e da África. Na China, a OMS acredita em um aumento anual de até 1,5 litro por pessoa até 2015.

De acordo com o relatório, até 2010, os maiores consumidores de álcool eram a Rússia, os países do leste da Europa e Portugal, seguidos da maioria dos países da União Europeia, Canadá, Austrália e África do Sul. Em 2012, o consumo mundial de álcool era equivalente a 6,2 litros por pessoa acima de 15 anos de idade.

Um quarto do consumo escapa do controle das autoridades, mas esse índice ainda é maior nos países onde o consumo de álcool é mal visto ou proibido como nos países do leset do Mediterrâneo e no sudeste da Ásia.

Metade do consumo oficial de álcool está relacionado às bebidas espirituosas (licores, rum, aguardente, vodca, etc) seguidas da cerveja (34,8%) e do vinho (8%). Segundo a OMS, 48% da população mundial nunca ingeriu álcool e a abstinência é mais frequente nas mulheres do que nos homens.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.