Acessar o conteúdo principal
Extrema-direita

Aliança de Marine Le Pen com nacionalista holandês deve eleger cerca de 35 deputados

Marine Le Pen, líder da Frente Nacional francesa, e Geert Wilders, líder do Partido da Liberdade (PVV), o terceiro maior da Holanda.
Marine Le Pen, líder da Frente Nacional francesa, e Geert Wilders, líder do Partido da Liberdade (PVV), o terceiro maior da Holanda. Reuters/Toussaint Kluiters/United Photos

O partido de extrema-direita francês Frente Nacional (FN), dirigido por Marine Le Pen, lidera as pesquisas na França com 24% das intenções de voto, segundo sondagem Ipsos-Steria de 16 de maio para o jornal Le Monde. No plano europeu, Marine Le Pen fechou uma aliança com o colega holandês Geert Wilders, líder do Partido da Liberdade (PVV), e legendas menores de vários países. O instituto de pesquisas Pollwatch, que agrega sondagens nacionais, estima que a coligação direitista pode conquistar 35 cadeiras no Parlamento Europeu.

Publicidade

Na França, a partido FN tem 24% das intenções de voto, vencendo o conservador UMP (22,5%), o Partido Socialista (17%), a sigla Europa Ecologia/Verdes (8%), a aliança centrista UDI-MoDem (7,5%), a Frente de Esquerda (7%) e formações menores (3%). Depois do sucesso das eleições municipais de março, em que o FN conquistou 12 prefeituras, a meta de Marine Le Pen é formar um grande grupo de extrema-direita no Parlamento Europeu. Pelas regras de funcionamento da Casa, para formar um grupo são necessários no mínimo 25 deputados de sete países.

Logo após as eleições, Marine Le Pen e o holandês Wilders pretendem formar uma aliança antieuropeia com os colegas do Vlaams Belang, da Bélgica, da Liga Norte italiana, do Partido da Liberdade Austríaco (FPO) e formações extremistas do norte da Europa. Partidos nacionalistas como Os Verdadeiros Finlandeses, o grego Aurora Dourada ou o Partido do Povo Dinamarquês são a grande sensação dessas eleições.

Wilders ficou famoso na Europa por suas declarações discriminatórias contra os muçulmanos. Recentemente, ele defendeu mudanças na lei para que haja "menos marroquinos" na Holanda. Suas declarações racistas são alvo de várias queixas na justiça.

Como Marine Le Pen, Wilders quer que a Holanda saia da União Europeia e abandone o euro. Mas a aliança com a Frente Nacional francesa, que tem um histórico antissemita, privou Wilders de um apoio importante. A principal entidade judaica da Holanda, que aprovava sua candidatura por ele ser um defensor de Israel, retirou o apoio sentindo-se traída pela aliança com Le Pen.

Na Holanda, as pesquisas apontam o PVV empatado com os liberais do VVD, atualmente no poder, e com o partido pró-europeu D66.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.