Acessar o conteúdo principal
Fato em Foco

Avanços na Copa do Mundo contagiam torcedores holandeses

Áudio 04:55
Torcida holandesa nas ruas de São Paulo.
Torcida holandesa nas ruas de São Paulo. REUTERS/Chico Ferreira

Os holandeses estão animados com a Copa do Mundo. As cidades estão vestidas de laranja e fazem a festa a cada partida. A confiança é grande no time e no técnico Louis van Gaal. Os jornais também especulam para quem a popular rainha Máxima, nascida na Argentina, vai torcer. A Holanda é a única seleção entre as grandes do mundo que nunca ganhou um Mundial e a vontade de vencer é grande.  

Publicidade

“Não é bem uma onda de nacionalismo, mas uma vontade de estar juntos, com todo mundo cada vez mais animado”, conta o músico e compositor holandês Jan Dumée. “Depois da vitória contra a Espanha, uma laranja explodiu sobre a Holanda”, ele brinca. “Os bares ficam entupidos, tem muitos telões pelas cidades”, relata o jornalista e dramaturgo Carlos Lagoeiro, que mora há 27 anos em Amsterdã.

Sede de vencer

Todos concordam que está na hora de ganhar. É a única grande seleção que ainda não foi campeã do mundo. A fama começou quando o “Carrossel Holandês”, comandado por Johan Cruiff, chegou à final em 1974, mas perdeu para a então Alemanha Ocidental. E os holandeses também acabaram morrendo na praia em 1978, contra a Argentina, e em 2010, contra a Espanha.

“Ambos times estão bem preparados, só não podem perder a concentração, pois não são tão sólidos quanto a Alemanha”, analisa o músico argentino Álvaro Rovira Ruiz, há oito anos vivendo na Holanda. “Os dois times estão com muita vontade de ganhar, já são vinte, trinta anos sem um título”, acrescenta.

De vilão a herói

Além de ter um escrete consistente, com jogadores como Robbin van Persie, Wesley Sneijder e Arjen Robben, o nome do técnico Louis van Gaal também vem se destacando pelas estratégias inovadoras. O selecionador, que nunca se deu bem com a imprensa, vem sendo chamado de genial pelas táticas que deixam de lado a escola holandesa, ofensiva, que ficou conhecida como Laranja Mecânica, para trabalhar mais a defesa. Outro toque de mestre muito elogiado foi a decisão de trocar de goleiro na hora dos pênaltis contra a Costa Rica. Krul entrou em campo descansado e defendeu dois chutes, garantindo a vitória holandesa.

Rainha argentina da Holanda

Um grande mistério é saber para quem a popular rainha Máxima, argentina, vai torcer. A Casa Real não fala a respeito, talvez para evitar lembrar mais uma vez que o pai de Máxima foi ministro na sangrenta ditadura militar argentina. Mas o casal já avisou que vai para o Brasil se os neerlandeses passarem para a final. “Subiram em cima do muro – talvez, politicamente, seja melhor, pois o futebol acaba e a monarquia continua”, diz Carlos Lagoeiro.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.