Acessar o conteúdo principal
Reportagem

Estilista brasileiro Gustavo Lins inaugura nova loja em Paris

Áudio 03:55
O estilista brasileiro Gustavo Lins acaba de inaugurar uma nova loja em Paris
O estilista brasileiro Gustavo Lins acaba de inaugurar uma nova loja em Paris (Foto: RFI Brasil)

O estilista brasileiro Gustavo Lins nos recebe em seu ateliê situado no Marais, no terceiro distrito da capital, se desculpando pela pressa: praticamente tudo está atrasado para o desfile de janeiro da Semana da Alta Costura: roupas, escolhas das modelos, organização... Sem contar a pane em seu computador, que destruiu vários arquivos essenciais que não puderam ser recuperados.

Publicidade

Nada disso entretanto abala seu auto-controle. Longe dos clichês do meio, Gustavo não é dado a chiliques. “O stress não entra e eu não deixo entrar. Eu me recuso a ficar histérico infernizando a vida de todo mundo. Isso é uma perda de tempo. A meu ver, uma coleção deve ser concebida como uma festa”, diz o estilista, o único brasileiro a integrar a Câmara Sindical da Alta-Costura.

O desfile acontecerá no próximo dia 27 de janeiro. “Nós vamos desfilar depois de um ano e meio ausentes do calendário, então estou em plena preparação da coleção e do show”, explica. “Tenho disciplina de nadador. Quando você prepara uma competição você fica muito concentrado, muito livre. E quanto mais livre e relaxado você estiver mais capacidade você tem para resistir ao stress”, ressaltando a herança da época em que era nadador e disputou diversas competições.

Estilista abre primeira loja em Paris

Nesta semana, Gustavo também inaugurou sua nova “maison”, no mesmo bairro, um novo passo em sua carreira. “Estamos abrindo um novo espaço, que é uma extensão do meu ateliê. Trata-se de uma loja onde vendemos diretamente para o público. Além disso, tem toda uma nova logística que estamos colocando em prática, com mais espaço para trabalhar. É uma bela aventura!”, disse. “A abertura já está sendo preparada há nove meses, eu vi que o local estava vago e me organizei para alugá-lo. Fizemos algo leve, concebido mais como um show-room do que uma loja personalizada, com a decoração mais neutra, explica.

O Brasil continua influenciando toda sua criação. “Nesta coleção, por exemplo, trabalhei com uma gama de cores inspiradas nas pedras preciosas brasileiras. Então o verde que é cor de ágata, um vermelho cor de ágata, um azul celeste cor de água de marinha, placas de porcelana em ouro...tudo o que me lembra o Brasil em termos de pedras”’, conta.

“Como venho de Minas Gerais (Gustavo é de Belo Horizonte), o subsolo das pedras é muito mais presente nas minhas coleções do que a parte tropical. Então guardo de lembrança do Brasil essas pedras. Antes de estudar arquitetura, fiz um ano de meio Escola de Minas. Então tenho uma relação forte com pedras preciosas e semi-preciosas”, destaca.

Oriundo da primeira leva de imigrantes que desembarcou no país, no século 16, a história de seus ancestrais permeia o imaginário de Gustavo Lins. Ele garante, entretanto, que trabalha com inspirações atuais. “Eu só penso no meu tempo presente. O que está acontecendo aqui e agora é o que me interessa. O background da minha memória eu deixo tranquilo”, declara.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.