Acessar o conteúdo principal

Desvalorização do real derruba preço do açúcar, diz jornal Les Echos

Os preços de matérias primas recuaram pelo terceiro trimestre consecutivo.
Os preços de matérias primas recuaram pelo terceiro trimestre consecutivo. Wikipédia/Rufino Uribe

O jornal Les Echos desta terça-feira (7) dedica uma página inteira para explicar a espiral de queda dos preços das matérias primas e como ela reflete o que acontece em toda a economia mundial. A desvalorização do real é apontada como um dos maiores fatores para a queda da cotação do açúcar.

Publicidade

Os preços das matérias primas voltaram a cair nos três primeiros meses do ano. Foi o terceiro trimestre consecutivo de recuo, o que não se via desde 2001, lembra o diário especializado em economia.

Segundo Les Echos, uma série de fatores explica essa espiral. O preço do petróleo continua num "marasmo profundo". O dólar, cada vez mais forte e com a perspectiva de um aumento na taxa de juros nos Estados Unidos, exerceu uma grande influência nas cotações.

Outro fator: a superprodução que inunda o mercado mundial em um momento de desaceleração da economia da China, primeiro país consumidor de minérios e de petróleo. "A China, grande devoradora de matérias primas faz os mercadores tremerem. Minérios, como o ferro, e metais, como o níquel e o cobre, sentiram o golpe", relata o artigo.

Os mercados agrícolas enfrentam uma produção histórica. Os estoques de cereais estão com seu maior volume em 15 anos. Conclusão do jornal: as matérias primas mantêm seu status de ativos com menor atração para investidores, desde o início do ano.

Real desvalorizado

Les Echos cita vários exemplos do atual mercado de matérias primas. No caso do açúcar, o preço despencou de 17,50 cents para 13 cents por libra-peso na Bolsa de Nova York. O motivo é a desvalorização de 20% do real em relação ao dólar.

A situação oferece uma grande oportunidade para os exportadores brasileiros aumentarem suas vendas no mercado internacional. Outro motivo apontado pelo Les Echos é a decisão do governo indiano de voltar a oferecer subsídios às exportações.

 

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.