Acessar o conteúdo principal
Linha Direta

Crise de imigrantes no Eurotúnel afeta relações entre França e Inglaterra

Áudio 04:09
Exército monta guarda no perímetro do Eurotúnel, em Calais, no norte da França, em 5 de agosto de 2015.
Exército monta guarda no perímetro do Eurotúnel, em Calais, no norte da França, em 5 de agosto de 2015. REUTERS/Peter Nicholls

A crise dos imigrantes vindos principalmente da Síria, Afeganistão e países africanos que tentam chegar à Inglaterra pelo porto de Calais, no norte da França, atingiu seu ponto culminante nos últimos dias, quando milhares deles tentaram atravessar o Eurotúnel, que cruza o Canal da Mancha. Mesmo se dos dois lados medidas de reforço de segurança foram anunciadas recentemente, a situação vem causando uma verdadeira crise entre França e Inglaterra, que também sofrem constante pressão internacional para solucionar o problema.  

Publicidade

Barbara Chanin, correspondente da Rádio França Internacional em Londres

Esta crise já causou o endurecimento das medidas do governo com os solicitadores de asilo e ameaça as ajudas sociais existentes.

O primeiro-ministro britânico David Cameron já anunciou que imigrantes que chegarem ilegalmente na Inglaterra serão deportados. Além disso, novas medidas estão sendo tomadas para frear a imigração ilegal, como a exigência que proprietários expulsem inquilinos que perderam o direito de viver no Reino Unido. Cameron vem recebendo pressão para solucionar a crise e também críticas por ter chamado de “enxame” o número de imigrantes que chegam em Calais para atravessar o Canal. E nesta semana, o Secretário de Relações Exteriores britânico Philip Hammond disse que o governo do país está trabalhando com a França em uma força conjunta para retornar ao país de origem os imigrantes ilegais que tentam entrar no Reino Unido e também aqueles que estão na região de Calais.

Crise cara

O problema dos imigrantes está custando caro aos cofres britânicos. As próprias empresas de transporte sofrem prejuízos com toda a situação no porto, muitas vezes tendo que jogar fora produtos que vencem ou estragam por causa da demora para atravessar o túnel. Ao mesmo tempo, diversas medidas vêm sendo tomadas para conter o fluxo de imigrantes, incluindo promessas do Reino Unido à França de contribuir com mais de US$19 milhões nos próximos três anos para melhorar a segurança em Calais e na entrada do túnel. E os custos devem ainda aumentar com a aprovação de novas medidas para lidar com a crise.

Mas França e Inglaterra não querem continuar nesta batalha sozinhas. Os governos dos dois paises declararam que a crise no Eurotúnel é global, e fizeram um apelo a paises europeus e africanos para ajudar a solucionar o problema.

Queda de braço franco-britânica

Os jornais britânicos acusam a França de deixar os imigrantes passarem, e os políticos britânicos, como Harriet Harman, dirigente interina do partido Labor, quer que a França indenize britânicos que estão em férias e transportadores pelos transtornos.

Pois é, a França é criticada por liberar os imigrantes depois que eles são retirados dos caminhões, o que permite que voltem a Calais para tentar de novo a travessia. A polícia francesa diz que muitos imigrantes ilegais foram detidos, mas que o número é muito alto para que todos sejam presos. Muitos deles vivem em Calais em acampamentos improvisados perto do porto, que são chamados de “jungles”, ou seja, “selvas” em português. Na última semana foram registradas cerca de 3.800 tentativas de cruzar o Canal, e desde o começo de junho dez pessoas morreram tentando entrar no túnel.

Eurotúnel afetado

Muitos trens e balsas vêm sofrendo atrasos e até cancelamentos, e serviços também estão sendo prejudicados. A preocupação de autoridades é também em relação aos transtornos causados a turistas britânicos que planejam atravessar a fronteira para passar férias na França. Já serviços e atrações turísticas perto da região do túnel também são afetados, com uma queda de visitantes e consequentemente da renda para os estabelecimentos nestes meses de verão que geralmente são bem movimentados e respondem por uma boa parte do seu faturamento anual.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.