Acessar o conteúdo principal

Sem solução para a crise da migração, França está "em pane", diz Le Figaro

Capa do jornal francês Le Figaro desta quinta-feira, 12 de novembro de 2015
Capa do jornal francês Le Figaro desta quinta-feira, 12 de novembro de 2015 Reprodução/Le Figaro

Os jornais franceses desta quinta-feira (12) falam da crise da migração na França e das violências policiais em Calais contra os migrantes que estão há meses acampados na cidade em condições extremamente precárias. Para Le Figaro, governo, justiça e forças de ordem e autoridades de todas as instâncias fracassaram na busca de respostas coerentes para resolver a situação.

Publicidade

"A França está em pane face ao afluxo de migrantes", publica Le Figaro em sua manchete. O diário diz que o maior exemplo da crise da migração no país é a cidade de Calais, no norte do país, onde milhares de estrangeiros que desejam ir ao Reino Unido seguem acampados há vários meses em um local chamado de New Jungle ou, em português, a Nova Selva.

Não bastassem as condições precárias em que vivem, as violências policiais não dão trégua contra os migrantes que querem atravessar o Canal da Mancha. Calais está "à beira de uma guerrilha", escreve Le Figaro. Desesperadas para atravessar chegar ao Reino Unido, centenas de pessoas tentam todas as noites chegar ao porto da cidade, apesar da forte proteção do local.

De acordo com o diário, elas não hesitam em subir nos caminhões em movimento, arriscar suas próprias vidas e se armam do que encontram pela frente para enfrentar os policiais que tentam impedi-las de chegar até as embarcações que fazem a travessia do Canal da Mancha. Na noite de segunda para terça-feira, a polícia atirou 350 bombas de gás lacrimogênio para "restabelecer a ordem", deixando ao menos 30 feridos, publica Le Figaro.

O desespero da empreitada aumentou com a imensa proteção do Eurotúnel, que faz a ligação por terra da França até o Reino Unido. Não resta outra possibilidade para os migrantes que querem chegar em território britânico senão o porto. Além disso, com o Reino Unido fechando cada vez mais o cerco e com as chegadas massivas e incessantes de migrantes à Europa, as tentativas de fazer a travessia a qualquer preço se intensificam.

Ministro do Interior minimiza crise

O jornal Libération também trata do assunto em uma entrevista com o ministro francês do Interior, Bernard Cazeneuve, que estampa a capa do diário nesta quinta-feira. O ministro considera adequada a política do governo francês de luta contra os traficantes de pessoas e os 1,8 mil policiais que trabalham no local.

Para Cazeneuve, o problema da migração é mundial e não se concentra apenas no norte do país. "Desde o começo de 2015, o número de migrantes que chegaram à Europa equivale ao das cinco últimas décadas", argumenta.

O ministro também garante que a situação dos migrantes na França "está controlada". "Teremos cerca de 80 mil pedidos de asilo até o final do ano. Queremos que todos aqueles que têm um status de refugiado possam permanecer no país", conclui.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.