Acessar o conteúdo principal
RFI Convida

Pedro D-Lita, produtor: “Europeus ficam surpresos com a nova música brasileira”

Áudio 08:47
Pedro D-Lita promove artistas brasileiros e DJs em Paris, Londres e outras cidades europeias
Pedro D-Lita promove artistas brasileiros e DJs em Paris, Londres e outras cidades europeias RFI

O carioca Pedro D-Lita se define como um “ativista musical”. Apaixonado pelos sons desde a infância, ele vive há dez anos em Paris produzindo shows entre a capital e Londres, conectando grandes nomes da música contemporânea brasileira com os europeus. Marcelo D2, O Rappa, B Negão e Nação Zumbi estão na sua agenda.

Publicidade

É através do seu selo B-Mundo que Pedro aciona concertos, programação de festivais e projetos musicais. “Na verdade, não me considero um empresário, mas sou um incentivador desta cena brasileira para agregar essas pessoas que passam pela capital e que querem fazer as coisas aconteceram de uma forma independente, que é o que funciona hoje”, ele explica.

O produtor, que também é DJ, reconhece que atualmente as coisas acontecem “tipo fazendo mágica”. “Na França, há alguns anos, tinha muitas subvenções públicas, mas hoje ‘a torneira está fechando’, então, se a gente não continuar fazendo, pode parar’.

Pedro acha que faltam políticas culturais internacionais para a cena brasileira,. “Tem muita gente querendo fazer show aqui quando está de passagem em turnês na Europa, e a gente tenta catalisar todos esses movimentos através dessa plataforma B-Mundo”.

Sobre a preferência dos jovens desse continente em relação à música brasileira, Pedro D-Lita acha que os europeus esperam muito do Brasil. “O europeu está muito acostumado com a MPB, que é o samba, a bossa nova, então, quando vem uma novidade eles ficam surpresos…o dub, o reggae, o rock, e até perguntam: ‘Isso é Brasil?’ A gente está muito desenvolvido nessa área também. A gente tem a matéria prima, temos a música de Pernambuco, e a tecnologia também. A nossa nova música é muito forte, sabe?’, afirma, convicto, completando: ’A gente fala com meio mundo com essa linguagem”.

E para o verão que está chegando, ele está articulando com a produtora inglesa Backstage a vinda da banda Nação Zumbi em Londres, Genebra e Portugal. “E temos também os DJs sets, para os DJs brasileiros que estão de passagem como André Corisco, que hoje está na Nova Zelândia, e Marcelinho, é isso, a gente vai abrindo as frentes”, ele diz, com um grande sorriso.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.