Acessar o conteúdo principal

Escolas fecham em duas cidades da França depois de casos de coronavírus

Professor de máscara e poucos alunos: a nova realidade das escolas na França
Professor de máscara e poucos alunos: a nova realidade das escolas na França REUTERS/Eric Gaillard

Um jardim de infância e uma escola primária situados em Villeneuve-d'Ascq, no norte da França, e outro estabelecimento em Toulouse, no sul do país, foram fechados. Segundo as prefeituras das duas cidades, dois funcionários que trabalhavam nos locais foram diagnosticados positivos para a Covid-19.

Publicidade

Segundo o prefeito de Calmette, Gérard Caudron, a prefeitura foi informada da situação em 22 de maio. O funcionário da escola contaminado trabalhou de 13 a 15 de maio, longe dos alunos, mas nos dias seguinte esteve perto dos professores, dos alunos e presente na cantina."Partindo do princípio de precaução, decidi fechar temporariamente a escola até nova ordem", declarou.

Escola fechada em Toulouse

Em Toulouse, a escola Ernest Renan, que recebe de 8 a 10 crianças, também continuará fechada depois do contágio confirmado de uma funcionária, segundo a subscretária da Educação, Marion Lalane-de Laubadère. Ela soube da contaminação na sexta-feira, e julgou o fechamento da escola razoável, mesmo sem a exigência da Agência Regional de Saúde.

A assistente positiva para a Covid-19, que voltou para o estabelecimento no dia 11 de maio, estava de férias na semana passada. Outra pessoa que esteve com ela, que apresenta sintomas, ainda aguarda o resultado dos testes. Os sindicatos franceses Sud e CGT já haviam solicitado o fechamento da escola.

Riscos

As escolas na França retomaram parcialmente as aulas no dia 11 de maio, com um protocolo sanitário rígido, em meio a uma grande polêmica sobre o risco que isso poderia representar durante a epidemia. Cerca de 86% das 50.500 escolas do país retomaram as aulas. Muitos prefeitos questionaram a reabertura dos estabelecimentos, assim como alguns professores, que Muitos pais também decidiram que seus seus filhos não voltariam às escolas antes de setembro, início do ano letivo na França.

O próprio governo não seguiu a orientação do Conselho Científico consultado sobrre a questão, que recomendou manter as escolas fechadas. Diversos estudos recentes mostraram que as crianças transmitem pouco o coronavírus, apesar de alguns casos graves, como pacientes que desenvolveram doença de Kawasaki. Mas ainda existem muitos mistérios envolvendo as diferentes manifestações clínicas da Covid-19, o que não permite afirmar que a volta às aulas em contexto de pandemia é sem risco.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.